Os Guardiões dos Animais de Fukushima

Animais de Fukushima

Keigo Sakamoto
Fotografia original: David Guttenfelder / AP / National Geographic

Naoto Matsumura e Keigo Sakamoto provavelmente não se conhecem, mas têm muito em comum: são os guardiões dos animais de Fukushima, a província japonesa vítima do maior acidente nuclear desde Chernobil e onde ninguém quer – ou pode – viver. De onde os animais não tiveram como fugir. Muitos foram deixados para trás acorrentados e morreram de fome.

Com a missão de salvar o máximo número de animais possível, Naoto Matsumura, agricultor, recusou ser evacuado da cidade de Tomioka (situada a menos de 20 quilómetros da central nuclear de Fukushima) e é agora o único habitante dessa cidade fantasma, juntamente com dezenas de vacas, porcos, gatos, cães e até um pónei e duas avestruzes.

Keigo Sakamoto, que trabalhava em instituições de apoio a deficientes mentais, também recusou ser evacuado após o acidente nuclear e permaneceu na cidade de Naraha, a sul de Fukushima, onde cuida e alimenta mais de 500 animais abandonados, incluindo os seus 21 cães.

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Para além do risco de vida que ambos enfrentam, ao habitar zonas altamente radioativas, não têm electricidade ou água potável e tiveram de improvisar com painéis solares e geradores para conseguirem iluminação, refrigeração dos alimentos, cozinhar e acesso à Internet.

Naoto tem uma página no Facebook e Keigo conseguiu um pequeno subsídio estatal para o ajudar na tarefa de cuidar dos animais: todas as segundas e sextas viaja até à cidade de Iwaki onde se abastece. Para conseguir alimentar todos os animais necessita de cerca de uma tonelada de comida por mês.

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto
Fotografia: Damir Sakoji / Reuters

A maioria dos cães que Keigo alimenta afastaram-se do contacto humano e ficaram pouco sociáveis. Mas há um “especial”, a quem Keigo chamou de Atom (“Átomo” em português, na foto em cima), por ter nascido pouco tempo antes do desastre nuclear.

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura
Fotografia: Japan Times

Quando Naoto recusou ser evacuado e ficou para trás, fê-lo principalmente pelos seus animais. Mas cedo se apercebeu que existiam muitos mais animais a precisar de ajuda, vários deles fechados e sem acesso a comida ou água. Centenas de vacas morreram desta forma.

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

A elevada radiação a que está exposto (cerca de 17 vezes mais do que o normal) não assusta o antigo agricultor:

Disseram-me que não devo ficar doente nos próximos 30 ou 40 anos. Provavelmente já estarei morto nessa altura de qualquer das formas, então não me podia importar menos com isso.
– Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto conta que uma das cenas mais tristes que presenciou foi de uma vaca, que estava pele e osso, a afastar o seu bezerro que queria desesperadamente amamentar-se. Atordoado pela fome, o bezerro afastou-se a chorar e agarrou-se a um pedaço de palha, como se fosse uma teta da mãe. Morreram os dois.

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto

Não há vizinhos. Sou o único aqui e estou para ficar.
– Keigo Sakamoto

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto chegou a salvar um cão que se encontrava preso dentro de um celeiro há quase ano e meio. Durante todo esse tempo alimentou-se da carne apodrecida do gado que tinha morrido à fome. Sobreviveu, sabe Deus como, até Naoto o encontrar no Verão de 2012, como se imagina num estado lastimoso. Naoto resgatou-o e assim que o cachorro começou a recuperar, chamou-lhe Kiseki (“Milagre” em português).

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Quando fui alimentar os meus cães, os cães da vizinhança ficaram doidos. Fui verificar e encontrei-os acorrentados. Toda a gente foi embora a pensar que iriam voltar em poucos dias, penso eu. A partir desse momento comecei a alimentar todos os cães e gatos. Não podiam esperar, começavam logo a latir quando ouviam a minha carrinha. Para todo o lado que eu fui havia algum cão a latir. Como se dissessem ‘tenho sede’ ou ‘não temos comida’. Comecei então as minhas rotinas diárias.
– Naoto Matsumura

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto

O governo japonês começou a evacuação de todos os residentes próximos da Central Nuclear de Fukushima dia 11 de Março de 2011, expandindo a área nos dias seguintes até 45 quilómetros de distância.

Para acalmar a população, o governo passou a mensagem de que seria uma evacuação temporária e dentro de dias estariam de volta. Muitos animais ficaram assim para trás, com reservas de comida e água que os donos acreditaram ser suficientes.

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto

Aqueles que se recusaram a deixar os animais para trás, enfrentaram diversos problemas. As autoridades recusaram-se a alojar animais até cerca de 3 meses depois, quando criaram um abrigo para o efeito. Muitos dos refugiados tiveram de esconder os seus animais dentro de carros e até mesmo ficar com eles nas viaturas, pois não podiam entrar nos abrigos.

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Grupos de proteção animal começaram inicialmente a tentar alimentar os animais que foram deixados para trás, até serem impedidos de voltarem a aceder aos locais afetados pela radiação. Ainda assim, conseguiram salvar cerca de 1.500 cães e gatos enquanto tiveram acesso.

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto
Fotografia: Guillaume Bression

Após algumas filmagens perturbadoras terem escapado para os media, o governo japonês proibiu definitivamente qualquer acesso por partes dos grupos de defesa animal e chegou mesmo a prender dois voluntários, Hiroshi e Leo Hoshi, a 28 de Janeiro de 2012. A família Hoshi, ás suas custas, já tinha salvo cerca de 200 animais.

Keigo Sakamoto e Naoto Matsumura são os “desordeiros” que ficaram e os salva-vidas de todos os animais que não tiveram como sair das cidades. São os guardiões dos animais de Fukushima.

Mais algumas fotos:

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Keigo Sakamoto

Keigo Sakamoto

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Naoto Matsumura

Tópicos: Ajuda Animal, Fotografia Animal, Artigos em Destaque