Perguntas Frequentes Sobre Dendrobates

Perguntas frequentes sobre Dendrobates

Dendrobates auratus
Fotografia: Wikimedia Commons

Questões gerais sobre as dendrobates

O que são dendrobates?
Dendrobates são pequenos anfíbios, na sua maioria terrestres, provenientes das florestas húmidas da América Central e do Sul. São famosas pelas suas cores exuberantes e pelo veneno que segregam pela pele, quando em estado selvagem.

Quais as espécies recomendadas para um iniciante?
Qualquer espécie que não requeira cuidados muito especiais, como as thumbnails. Espécies como as Dendrobates auratus, as Dendrobates leucomelas, Dendrobates tinctorius e até mesmo as Dendrobates azureus, são espécies indicadas para principiantes desde que levadas em conta as regras já mencionadas. A espécie por excelência para iniciados é a Epipedobates tricolor.

Posso manter mais que uma espécie de dendrobates num terrario?
Embora não seja nada recomendável, devido à fácil capacidade de hibridação, há quem consiga manter espécies diferentes num mesmo terrário. Para jogar pelo seguro, cada espécie deverá ter um terrário próprio, pois cada espécie tem as suas necessidades específicas. Para quem realmente se queira arriscar na manutenção de um terrário multi-especifico, recomenda-se que use espécies de géneros diferentes, como por exemplo manter Dendrobates spp com Epipedobates spp. Mas tal como já foi referido, as espécies deverão ter um terrário para cada uma.

Terrário e manutenção

Quais os principais cuidados a ter em conta quando se pretende manter dendrobates?
As dendrobates são animais de colónia, pelo que se deverá manter sempre mais que um individuo num terrário. São também animais territoriais, pelo que num terrário superpovoado poderão acontecer escaramuças entre indivíduos do mesmo sexo. Os principais cuidados que devemos ter são a manutenção da humidade em valores superiores a 80%, boa ventilação, alimento vivo sempre disponível, uma temperatura diurna que poderá rondar no máximo os 28ºC e uma temperatura mínima nocturna de cerca de 20ºC.

Ao montar um terrario o que devo ter em conta?
As dendrobates são rãs que, como já referi, vivem em florestas, logo necessitam de alguns sítios para se esconderem. Desde as comuns caixas de rolo fotográfico, até boiões de vidro escondidos no meio das plantas, tudo pode servir para fazer um esconderijo, ou local de postura para estes animais. O mais comum é a utilização de uma metade de coco, com uma abertura e no seu interior uma placa de petri com um pouco de água no fundo. A maioria das dendrobates, gosta de tomar banho, por isso deve ser fornecido um local onde possam molhar-se mas sem se afogarem uma vez que estes anfíbios não são nadadores. Um terrário deverá ter vários níveis, pois as dendrobates adoram trepar. A vegetação não deverá ser demasiadamente densa, pois as moscas tendem a esconder-se por entre as plantas e as rãs acabam por não comer como deve ser.

Ao montar o substrato posso usar qualquer tipo de terra?
Sim, desde que não contenha fertilizantes químicos. A turfa de terrário que é vulgarmente vendida em “tijolos” misturada com um composto de terra florestal, vendido nas lojas, é o ideal. O fundo do terrário deverá ser coberto com uma camada de leca (argila expandida) e por cima da leca é que se deverá colocar a mistura de terra. Planta-se e cobre-se o restante com folhas secas de carvalho, para evitar que as rãs andem sempre com restos de terra atrás delas, ou que engulam algum pedaço de terra quando se alimentam.

Como consigo manter a humidade num nível tão elevado?
Existem vários métodos para se fazer o controlo da humidade dentro do terrário. Desde o simples borrifar, até ao uso de sistemas de mist, tudo depende do que estamos dispostos a gastar. Dependendo do tamanho do terrário assim se usará um sistema ou outro. Para terrários de grandes dimensões, aconselha-se o uso de um sistema de mist controlado por um temporizador, para terrários mais pequenos, um borrifador será mais que suficiente. Os sistemas de foggers também ajudam a manter a humidade. Qualquer que seja a escolha do método a usar deverá usar-se sempre um higrómetro no terrário.

O que é um sistema de mist?
Chama-se sistema de mist ou misting system, ao conjunto de uma bomba de alta pressão aliada a sprinklers finos que criam nuvens de água muito finas parecendo um nevoeiro dentro do terrário.

Qual a diferença entre misting system e fogger?
O misting system actua em terrários grandes e devido à pressão dos sprinklers consegue-se cobrir uma maior área sendo a humidade distribuída mais homogeneamente. O fogger, funciona ligado à corrente, aliado a uma bomba que faz circular a água através de um sensor que “dispara” jactos de água tão finos que provocam aquele efeito de nevoeiro. Normalmente são usados em terrários de média a pequena dimensão.

Como manter a temperatura num terrario?
Tal como na humidade, vários são os métodos que podemos usar para a manutenção da temperatura. Desde o cordão enterrado no substrato ao tapete de aquecimento, qualquer que seja a sua escolha, nenhuma dispensa a presença de um termómetro. O cordão de aquecimento funciona em terrários grandes, visto conseguir cobrir grande quantidade de terreno, aliado a um termostato para terrário. Em terrários de médias dimensões pode-se usar um tapete comum de répteis, quer enterrado no solo, quer colado nas paredes exteriores do terrário. Também este método deverá ser utilizado com um termostato de terrário.

E quanto a iluminação? Há alguma especial?
Sim. As lâmpadas para os terrários húmidos deverão conter uma emissão de UV’s que ajudam à fixação do cálcio nos ossos das rãs. Também poderá usar lâmpadas sem UV, mas nesse caso deverá administrar um complexo vitamínico especial para dendrobates com D3+, que ajuda a fixar o cálcio nos ossos.

Que plantas se podem usar num terrario?
Como as dendrobates são provenientes das selvas tropicais, qualquer planta tropical pode ser usada num terrário húmido. Normalmente as mais comuns são as bromeliáceas, orquídeas, fetos e musgos.

E para decorar as paredes?
Há vários métodos para a decoração das paredes, mas o mais comum é o uso de placas de coco ou de cortiça cortadas à medida das paredes interiores dos terrários e coladas à mesma com cola de silicone. As placas de coco, são excelentes, pois ajudam a manter a humidade e servem de substrato para plantas epífitas, como orquídeas, fetos e musgos.

Alimentação

O que comem as Dendrobates?
As dendrobates só aceitam comida viva, pelo que se torna por vezes um pouco complicado obter comida para estes animais, mas felizmente em lojas da especialidade costuma haver sempre um stock de alimentos para estes animais. A alimentação base de qualquer dendrobatídeo é a Drosophilla spp (vulgo mosca do vinagre / mosca da fruta). São fáceis de obter e de criar em casa. Outro alimento comum são os microgrilos que deverão ser administrados com moderação, pois os que fugirem do apetite voraz das rãs, acabarão por crescer dentro do terrário e poderão provocar sérios ferimentos nas rãs.

Como administrar o alimento?
Nada mais simples. No caso de administrar as moscas, basta colocar um pedaço de fruta dentro de um recipiente raso e deitar por cima uma porção de moscas. Estas acabam por ficar paradas de cima da fruta e as rãs alimentam-se mais facilmente. regularmente as moscas, ou qualquer alimento a ser administrado deverá ser polvilhado com um complexo vitamínico.

Reprodução

As dendrobates procriam em cativeiro?
Sim. A maioria das espécies sim, embora seja relativamente complicado conseguir a primeira postura de ovos de Dendrobates. Após a primeira postura, as outras seguir-se-ão com mais regularidade e facilidade. Normalmente o macho quando está pronto para acasalar, canta, chamando a fêmea para um local que ele escolheu. Depois da postura feita normalmente o pai guarda os ovos até os girinos eclodirem e transporta-os nas suas costas, para um local onde haja água e deposita-os aí, terminando o seu cuidado com os ovos. Os girinos na sua maioria são canibais e por isso é aconselhável criá-los separadamente. é conveniente que a primeira postura se deixe ficar no terrário, para que os pais aprendam o que fazer com elas. Só ao fim de duas ou três posturas é que é conveniente retirar alguns ovos e criá-los separadamente. Não conte nas primeiras posturas conseguir girinos, pois normalmente estas primeiras posturas perdem-se, devido à inexperiência dos pais.

Como distingo machos de fêmeas?
Esta é a questão que é mais difícil de responder. A única maneira 100% eficaz é ver o macho cantar. Normalmente em espécies de maior porte como as Dendrobates tinctorius e as Dendrobates azureus, podemos distinguir os machos das fêmeas pelos dedos das mãos, que nos machos são bem maiores e fendidos e nas fêmeas o tamanho dos dedos das mãos e dos pés é basicamente o mesmo, mas esta diferença só é bem visível em espécimes adultos. Não há uma maneira fácil e infalível de sexar dendrobates sem ser pelo canto dos machos.

Este artigo foi publicado na Revista nº5 do Mundo dos Animais, em Fevereiro de 2008, com o título “FAQ Sobre Dendrobatídeos”.

Tópicos: Rãs e Sapos, Anfíbios, Animais Exóticos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque