Tritão Ventre de Fogo

Tritão ventre de fogo (Cynops orientalis)

Tritão ventre de fogo (Cynops orientalis)
Fotografia: Samuel da Costa

Classificação científica:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Amphibia
  • Ordem: Caudata
  • Família: Salamandridae
  • Género: Cynops
  • Espécie: Cynops orientalis

Nome comum: Tritão ventre de fogo

Tamanho: 6 – 10 centímetros

Ameaças: Poluição, pressão urbanística, práticas agrícolas e colecção para o mercado.

IUCN Lista Vermelha: Pouco preocupante

Aparência

Os tritões ventre de fogo são pequenos animais de cor preta, que podem mudar de cor para um cinzento escuro, se bem que o mecanismo que causa estas mudanças de cor ainda não está bem compreendido.

A cauda possui uma extremidade arredondada (ao contrário dos Cynops pyrrhogaster) e a barriga possui inúmeras manchas vermelhas ou alaranjadas. A pele é relativamente lisa comparada com as outras espécies de Cynops. Alguns indivíduos possuem uma lista dorsal de cor alaranjada.

Dimorfismo Sexual

Os machos têm um formato de corpo mais quadrado e as fêmeas são mais arredondadas. Os machos têm a cauda mais curta e com uma “barbatana” ligeiramente maior.

Na época de reprodução os machos ficam com a cloaca maior que as fêmeas.

Comportamento

São animais que convivem bem em grupo não havendo grandes problemas com a co-habitação. Têm a tendência para abandonar a água quando as condições são adversas (qualidade da água, stress, temperaturas inadequadas, muita corrente…) embora às vezes o façam sem qualquer motivo aparente sendo necessário tomar as devidas precauções.

Em estado selvagem vivem em poças de águas frias e paradas com um fundo enlameado e liberto de rochas.

Aquário

Os tritões ventre de fogo são possivelmente os melhores anfíbios caudados tanto para iniciados como para avançados, já que proporcionam momentos bastantes engraçados e sendo tolerantes a alguns abusos dos mais novos no hobby, proporcionam uma boa iniciação ao mundo dos caudatas em cativeiro.

Assim um aquário de 40 litros serve perfeitamente para um pequeno grupo de quatro ou cinco tritões. O aquário pode ser plantado já que sendo estes animais de pequeno tamanho, não há tantos problemas de desenraizamento de plantas.

Caso se opte por um aquário com o fundo sem areão ou areia, as plantas flutuantes são um bom substituto. Uma planta bastante adequada para estes animais é a elódea que pode ser usada com planta enraizada ou como planta flutuante. Esta planta também é muito apreciada pelas fêmeas para porem os ovos. Sendo uma planta de crescimento rápido proporciona um excelente aliado na manutenção da qualidade da água.

Deverá existir uma área emersa que permita aos Cynops saírem da água, esta área emersa pode ser conseguida usando troncos ou rochas que rompam a superfície da água ou então plataformas usadas para tartarugueiras que podem ser encontradas na maioria de lojas de aquariofilia. Essa plataforma pode ser embelezada com musgo de java.

A corrente deverá ser fraca de forma a não stressar os animais. Um pequeno filtro de esponja que não cause muita agitação deve suprir as necessidades de filtração. Caso não exista filtração, não haverá problema tendo-se de ter mais atenção às mudas regulares de água.

Alimentação

Larvas de mosquito vermelhas, misis, microvermes, minhoca da terra cortada aos pedaços, dáfnias, larvas de mosquito pretas, são todos bem aceites pelos tritões ventre de fogo. Leia mais sobre criação de alimento vivo para anfíbios.

Veja também: Tritão cauda de leme

Este artigo foi publicado na Revista nº 9 do Mundo dos Animais, em Dezembro de 2008, com o título “Cynops orientalis”.

Tópicos: Tritões e Salamandras, Anfíbios, Animais Exóticos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque