O Cavalo Castrado

O cavalo castrado

Fotografia: William Murphy

Cavalo castrado, para muitas pessoas está relacionado à perda de alguma coisa. Perda de valor comercial e da possibilidade de reproduzir.

Porém, é bom lembrar que, se por um lado ele perde, por outro ele ganha. Tudo depende do que o criador ou proprietário espera do cavalo.

Existe o objectivo de se iniciar uma criação, de aprimorar raças, desenvolvendo e apurando linhagens através de cruzamentos planeados, assim como o desejo de simplesmente possuir e utilizar os animais para trabalho, desporto e lazer.

Para esta última categoria, a dos usuários do cavalo principalmente, nada melhor do que um cavalo dócil, de fácil manejo e que não exija custos elevados na sua manutenção.

As vantagens da castração

No desporto, o cavalo castrado de categoria sela substitui com vantagem o garanhão em qualquer modalidade. O animal não perde nem resistência nem impulsão, mas ganha maneabilidade.

Um castrado criado em liberdade terá maior condicionamento físico natural do que o garanhão mantido na baia.

O desporto requer do animal características que, dificilmente se encontram num cavalo inteiro. Entre elas está o facto dele ter que se socializar com outros cavalos.

Quando se vai medir os batimentos cardíacos, um cavalo inteiro demora muito mais para voltar ao normal, pois acaba sofrendo com maior intensidade as influências externas.

É mais agitado, incomoda-se com o barulho e principalmente com a presença de éguas. Fica com a respiração completamente alterada e torna-se difícil de ser controlado pelo cavaleiro.

Como e quando castrar

Antes de tudo, é preciso discutir o porquê de se castrar cavalos.

O primeiro e principal motivo pelo qual se castra um cavalo é o financeiro, já que o manejo para um garanhão é muito mais caro.

Vale ressaltar que a percentagem de machos habilitados genética e morfologicamente à reprodução é muito baixa. Sendo assim o caminho natural para a amortização de custos é a castração.

Aconselha-se a castração de machos que não tenham características raciais satisfatórias, pois assim eles não transmitiriam esses caracteres à sua prole, ao mesmo tempo que dá a chance a um outro previamente seleccionado ter maior número de filhos também seleccionados, melhorando desta forma o padrão racial.

Muitos proprietários acreditam que o seu garanhão é um óptimo reprodutor, quando na realidade é inferior a muitos outros. Uma das maiores causas do insucesso de criadores é exactamente o facto de acreditarem nisso e continuarem com a utilização desse animal.

A correta avaliação de um garanhão é muito importante. Um garanhão ruim, que traz prejuízos á coudelaria, às vezes pode sair um excelente cavalo de serviço; bonito, habilidoso na lida com o gado e tranquilo.

Há várias correntes que indicam o melhor momento para castrar um cavalo.

Existem os veterinários que preferem castrar por volta dos 3 anos, pois nesta idade o animal já estará em fase final de crescimento, e, portanto com suas características definidas, praticamente prontas, ao passo que, se castrar precocemente, ele diminuirá o seu crescimento e guardará sempre aquelas características de potro.

Por outro lado, se castrar um cavalo tardiamente, haverá um engrossamento do cordão espermático, aumentando assim a irrigação testicular, além de ter um aumento da libido daquele animal, o que dificulta uma adaptação à nova vida.

Antes de se descrever o processo cirúrgico da castração, é importante salientar que é conveniente que o animal esteja imunizado contra tétano, e que mesmo assim é necessário se aplicar uma ampola de soro antitetânico no dia da cirurgia. É também importante observar que o cavalo a ser castrado esteja com os dois testículos na bolsa.

Após a castração deve-se soltar o animal e deixar que ele se levante, então deve-se iniciar uma atenta observação para contactar se há sangramentos das feridas, bem como as primeiras reacções do animal.

Físico e comportamento

A diferença visual entre os dois biótipos resume-se na presença dos testículos na bolsa escrotal do garanhão a partir dos 18 meses de idade, em média, e principalmente no comportamento desses cavalos que são mais fogosos e indóceis que os castrados, devido a presença de hormonas masculinas no seu metabolismo.

Fisicamente notamos que o cavalo castrado fica mais calmo e portanto menos stressado, perdendo gradativamente o interesse sexual, passando a alimentar-se melhor e tendo um ganho de peso acentuado, com um comportamento cada vez mais pacato.

O instinto sexual do animal castrado vai diminuindo aos poucos até que termine a quantidade de testosterona circulante, quando ele perde então a capacidade de fecundar.

Esse tempo levará em média de 30 a 90 dias, sendo que, após esse tempo a probabilidade de fecundação é zero, apesar de alguns animais permanecerem com a libido activa por muito tempo, sendo aptos ainda durante um período, a detectar cios e fazer montas em éguas, sem que isso cause prejuízo a ambos.

Via: Cavalo Completo

Tópicos: Cavalos, Animais de Quinta