Aprendizagem: Equitação II

Equitação

A segunda fase da aprendizagem do cavaleiro começa pelas aulas de volteio.

Nesta altura pode-se dar a oportunidade ao aluno de ser ele a levar o cavalo para o picadeiro. Parece um gesto bastante insignificante mas é bom para a auto-estima do aluno. Nunca esquecer a maneira correcta de conduzir o cavalo!

Na primeira aula de volteio o material a usar será o seguinte:

Para o cavalo

  • Guia de volteio;
  • Cabeçada de bridão (bridão grosso);
  • Rédeas fixas;
  • Suadouro;
  • Manta (para colocar por cima do suadouro. simultaneamente protege o dorso do cavalo e torna o assento mais confortável ao cavaleiro);
  • Cilhão de argolas;
  • Proteção de membros (caneleiras ou ligaduras).

Para o cavaleiro:

  • Toque;
  • Camisola ou t-shirt (deverá ser o mais confortável possível para que o aluno se sinta bem);
  • Calças de montar;
  • Botas de montar (ou polainas).

Depois de o monitor verificar que o aluno e o cavalo estão correctamente equipados, segundo as normas de segurança básicas, pode dar inicio à aula.

Tendo em conta que é (provavelmente) a primeira vez que o aluno vai montar a cavalo, o monitor pode ajudá-lo a subir para cima do cavalo. Com o pretexto de o ajudar a subir o monitor vai fazer com que o aluno esteja praticamente encostado ao cavalo, e aí pode ver até que ponto o aluno se sente confortável ao pé do mesmo.

Quando o aluno já estiver em cima do cavalo, o monitor deve falar bastante com ele, recomendar-lhe que esteja descontraído, que respire (parece parvoíce mas há pessoas que quando começam a montar a cavalo, estão tão contraídas que se esquecem de respirar), que descontraia os músculos, endireite as costas, pernas caídas à vontade, cabeça levantada, nariz empinado, etc (basicamente o tipo de recomendações que se vão dando ao longo das aulas).

Segurando o cavalo perto de si, o monitor começa primeiro por descrever círculos largos. Aos poucos vai soltando a guia para ficar no meio e poder observar o aluno e corrigi-lo.

Neste andamento (e entre todas as recomendações já antes referidas) o aluno vai aprender a acompanhar o movimento do cavalo com a cintura. Nesta altura o monitor pode explicar (da forma mais simples) o que são os andamentos basculantes, ou seja, aqueles em que o cavalo báscula o pescoço (passo e galope).

Se o aluno estiver demasiado nervoso e contraído o monitor pode optar por falar de assuntos que não tenham nada a ver com a aula que está a decorrer. Falo por experiência própria. Com os meus alunos funcionou!

Os exercícios que o aluno realiza devem sem adequados ao andamento do cavalo.

No passo, o aluno vai realizar exercícios que levem à descontracção, ao equilíbrio, à segurança em cima do cavalo. No passo podem realizar-se exercícios tais como a rotação total dos braços (lentamente), rodar o pescoço (este exercício só deve ser feito a passo.

Em qualquer outro dos andamentos é demasiado violento e pode provocar lesões do pescoço e da coluna!), segurar um e outro calcanhar, tesoura, mãos nos ombros / cintura /atrás das costas (a empurrar a cintura para a frente).

Também se pode puxar um bocado pela imaginação. Com os meus alunos fazia muito o exercício de levantar as mãos acima da cabeça com os braços bem esticados, olhando para cima e contar as lâmpadas do picadeiro (no exterior era vê-los à procura dos pássaros!), tapar os olhos, tirar o toque e voltar a pô-lo, etc.

Para ensinar o aluno a acompanhar o trote do cavalo temos de ter a certeza que está descontraído e que já acompanha bem o movimento do passo. Deve começar-se por um trote lento mas regular. Insistir que o aluno tenha as costas direitas, cintura descontraída a absorver o movimento, ombros recuados e pernas descaídas. Se o aluno estiver com dificuldades podemos dizer-lhe que se incline para trás, o que vai facilitar a absorção do impacto.

No trote podem fazer um exercício que consiste em esticar os braços à altura dos ombros, rodar a cintura (e os braços a acompanhar), olhando sempre para a mão que vai atrás, também se pode fazer uma variação deste exercício, na qual o aluno toca com a mão da frente no pescoço do cavalo e com a de trás toca na garupa, bater palmas à frente do corpo e atrás das costas, etc.

O galope é talvez o andamento mais difícil de se aprender, apesar de ser o mais confortável.

Antes do aluno aprender o andamento deve-se explicar que é um andamento a três tempos, tempos esses que o aluno vai acompanhar com a cintura. Ensinar o aluno a galopar “de trás para a frente”, ou seja, no primeiro tempo o rabo está mais atrás no arreio e no terceiro tempo a cintura avança livremente. Para ensinar o galope deve-se fazer um circulo largo para ser mais fácil para o aluno de manter o equilíbrio

Os exercícios que se podem fazer no galope são: balançar os braços ao lado do corpo, mãos no toque / nos ombros / na cintura /atrás das costas, contar os tempos do galope em voz alta, passar uma perna por cima do pescoço e ficar a galopar de lado (e depois voltar à posição original), esticar os braços à altura dos ombros e fechar os olhos, fazer festas no pescoço e na garupa do cavalo, etc.

É preciso ter imaginação para não fazer sempre os mesmos exercícios. Muitas vezes um exercício que parece não ter grande sentido é talvez um exercício que vai ajudar à descontracção do aluno!

Boas aulas!

Seguinte: Equitação III
Anterior: Equitação I

Este artigo foi publicado na Revista nº4 do Mundo dos Animais, em Dezembro de 2007, com o título “Equitação II”.

Tópicos: Cavalos, Animais de Quinta, Artigos em Destaque