Dinossauros: Quando e Onde Surgiram

Mundo dos Dinossauros

Os dinossauros surgiram há cerca de 231 milhões de anos, em meados do período Triássico e extinguiram-se à aproximadamente 66 milhões de anos, data que marca o final do período Cretáceo e da era Mesozóica.

Antes do aparecimento dos dinossauros, deu-se uma extinção em massa tão devastadora que se estima ter desaparecido 90% da vida marinha e 70% dos animais terrestres. Esta extinção marcou o fim do período Permiano e o início ao Triássico, há cerca de 251 milhões de anos. Os ecossistemas terrestres demoraram cerca de 30 milhões de anos a recuperar desta extinção devastadora e os dinossauros começaram a aparecer durante essa altura.

Inicialmente os dinossauros habitavam livremente o super continente – a Pangeia – que se estendia de pólo a pólo. Eram animais relativamente pequenos, tanto carnívoros como herbívoros, que, com o decorrer do tempo, foram superando outros de maior porte mas menor sucesso na luta pela sobrevivência.

Os dinossauros foram-se adaptando às condições existentes na Terra e o seu sucesso como animais dominantes no planeta estendeu-se por 165 milhões de anos – a que podemos chamar de era dos dinossauros.

Para ter uma ideia de quão longa foi a era dos dinossauros, os seres humanos modernos (Homo sapiens) só habitam o planeta há cerca de 0,2 milhões de anos. Estamos mais próximos do tempo do tiranossauro (0,2 para 66 milhões de anos) do que o tiranossauro dos primeiros dinossauros que existiram (66 para 231 milhões de anos).

Com a evolução e adaptação que foram sofrendo aos mais variados níveis, os dinossauros chegaram ao período Jurássico com um tamanho médio superior, com uma classe carnívora bem definida e herbívoros com defesas mais evoluídas, como couraças, espinhos, placas de protecção, maior densidade óssea em zonas mais sensíveis, entre outras.

O período Jurássico (202 – 145 milhões de anos), um pouco por culpa do grande sucesso do cinema «Jurassic Park», é popularmente visto como o período onde habitaram alguns dos dinossauros mais famosos, como o tiranossauro. No entanto, ainda faltariam muitos milhões de anos para surgir.

O grande predador do Jurássico era o alossauro, numa época em que viveram também o estegossauro, o braquiossauro e muitos outros, incluindo alguns dinossauros bizarros.

O período Cretáceo (145 – 66 milhões de anos) é um pouco ilusório no que diz respeito à evolução dos dinossauros. É neste período que se encontram mais e melhores registos fósseis, bem como foi a época em que maior número de dinossauros habitaram a Terra, no entanto, a diversidade diminuiu e isso pode ter contribuído para a extinção.

Apenas dois grupos significantes de dinossauros se diversificaram – os ceratopsídeos e os hadrossauros. As plantas angiospérmicas começaram a dominar a flora e, apesar de vários dinossauros herbívoros se alimentarem destas, a maioria alimentava-se das plantas gimnospérmicas e não conseguiram acompanhar o ritmo das alterações do ecossistema no que dizia respeito à alimentação. A extinção dos dinossauros foi acelerada pelo evento que os dizimou, mas é possível que se tivessem extinto de qualquer forma dada a baixa diversidade que apresentavam nessa altura.

Outros animais, porém, ganharam vantagem nisso, como os insectos e os mamíferos. Os lagartos, as cobras, os crocodilos e os pássaros também se diversificaram, sendo as aves descendentes dos dinossauros terópodes. As tartarugas mantiveram-se praticamente inalteradas, desde que surgiram há 215 milhões de anos, até aos dias de hoje.

Este artigo foi originalmente publicado na Edição nº 10 da Revista Mundo dos Animais, em Março de 2009, com o título “Mundo dos Dinossauros – Quando e onde surgiram”.

Tópicos: Dinossauros, Animais Pré-Históricos, Artigos em Destaque