Fóssil Redefine História dos Mamíferos

Juramaia sinensis

Juramaia sinensis
Ilustração: M. A. Klinger / Carnegiemnh.org

Este pequeno animal semelhante a um musaranho, é o mamífero com placenta mais antigo que se conhece.

Com apenas 15 a 17 gramas, viveu há mais de 160 milhões de anos e tem algo a dizer na história dos animais mamíferos no nosso planeta.

O aparecimento dos mamíferos placentários, também chamados de “verdadeiros” mamíferos, são um ponto chave na história da vida na terra e da evolução das espécies até nós.

A descoberta, em Liaoning, China, de um fóssil de um mamífero com placenta datado de há cerca de 160 milhões de anos, antecipa em 35 milhões de anos o que se pensava sobre a primeira presença destes animais.

Descoberto pelos investigadores do Museu de História Natural de Carnegie, em Piitsburgh, EUA, o animal recebeu o nome de Juramaia sinensis, que significa “mãe jurássica da China”, referindo-se também ao período Jurássico em que viveu.

“Com 160 milhões de anos, o ‘Juramaia’ é a tia-bisavó ou a bisavó de todos os mamíferos placentários que prosperam hoje”, realçou Zhe-Xi, num comunicado do museu.

Recorde-se que cerca de 90% de todos os mamíferos actuais, têm placenta. Esta descoberta indica, assim, que há 160 milhões de anos já tinha ocorrido a separação entre os mamíferos placentários e os mamíferos marsupiais.

Mais informação (em inglês):

Tópicos: Animais Pré-Históricos