Imagens da Semana: 1 – 7 Janeiro 2017

Bem-vindo às primeiras imagens da semana de 2017!

Nesta edição, falamos sobre a morte de duas orcas famosas por motivos diferentes, Tilikum e Granny. Veja como as galinhas são bem mais inteligentes do que pensávamos e como não somos os únicos a preferir a “mão direita” ou “esquerda”. Estas e muitas outras histórias já a seguir.

Recorde também as melhores imagens de 2016.

Morreu a orca Tilikum

Fotografia: via Daily Mail

Tilikum, a orca mais famosa do SeaWorld, na Florida, morreu esta sexta-feira. Tinha 36 anos e estava a combater uma infeção pulmonar já há vários anos, embora a causa da sua morte só possa ser confirmada após a necrópsia.

Tal como a orca Lolita, Tilikum vivia em cativeiro há mais de três décadas, depois de ter sido capturado na natureza em 1983. Em 1991, juntamente com outras duas orcas mantidas no mesmo tanque, matou a treinadora Keltie Byrnes, após esta cair acidentalmente à água. Em 1999, um sem-abrigo fintou a segurança do SeaWorld durante a madrugada e seria encontrado morto no mesmo tanque na manhã seguinte. Em 2010, matou a treinadora Dawn Brancheau, puxando-a pelo braço para dentro de água.

Tilikum foi protagonista do famoso filme Blackfish, um documentário que levou a opinião pública a manifestar-se em massa contra a manutenção em cativeiro destes animais. No documentário, é mostrado como as orcas se tornam muito mais agressivas, quer para com seres humanos, quer entre elas próprias, quando são privadas da sua vida normal em liberdade.

Tarântulas são destras

Fotografia: Stuart Longhorn / via National Geographic

Mais uma vez, os animais mostram que são bem mais próximos de nós do que anteriormente pensávamos. Num estudo publicado no Journal of Zoology, investigadores descobriram que a grande maioria das tarântulas é destra — ou seja, prefere a “mão direita”. Esta não é a primeira vez que se estuda tal facto: em 2015, outro estudo já tinha confirmado que a maioria dos cangurus são canhotos. A preferência pela “mão direita” ou “esquerda” pensava-se ser exclusiva do ser humano.

Orangotango bebé

Fotografia: Center for Orangutan Protection

Um orangotango bebé, chamado Popi, foi encontrado sozinho e a precisar de ajuda numa plantação de óleo de palma no Bornéu. Uma vez que as mães não abandonam os filhotes, presume-se que a progenitora deste bebé esteja morta. Popi foi resgatado pelo Center for Orangutan Protection, onde está a ser cuidado 24 horas por dia.

Elefante raro com as presas apontadas para baixo

Fotografia: Reprodução YouTube

O raro elefante-pigmeu de presas dobradas para baixo, de quem falamos pela primeira vez em Agosto do ano passado, foi encontrado morto no Bornéu. Conhecido como Sabre, pela semelhança das suas presas com as do tigre-dentes-de-sabre, levantou preocupações em Novembro, quando o seu colar de rádio começou a indicar que ele não se estava a mexer. Inicialmente os conservacionistas colocaram a hipótese de o colar ter caído, algo que acontece com frequência, mas acabaram por descobrir os restos mortais do elefante, assassinado brutalmente por causa do seu marfim.

Existem apenas entre 1.500 a 2.000 elefantes-pigmeus-do-borneu (Elephas maximus borneensis). O que mais os diferencia dos elefantes-asiáticos é o seu tamanho, pois são mais pequenos. O elefante-asiático e as suas subespécies, da qual este elefante-pigmeu faz parte, está em perigo de extinção.

Cavalo despede-se de dono falecido

Fotografia: Kyioshi Abreu / Diário do Sertão

Um cavalo parece estar a despedir-se do seu dono, morto num acidente de viação, ao bater as patas e roçar a cabeça no seu caixão. O enterro ocorreu na passada terça-feira em Paraíba, Brasil. Segundo o irmão do falecido, o cavalo relinchou durante todo o trajeto até ao cemitério. O irmão afirmou também que vai assumir a responsabilidade de manter e cuidar do cavalo.

Leoa tripé

Fotografia: Ferrison Kalembelembe / Mukambi Lodge

Uma leoa tripé, após ter perdido uma das suas patas numa armadilha no sul de África. Muitos leões, leopardos, chitas e hienas nesta região têm ficado gravemente feridos, ou mesmo mortos, por armadilhas que são ilegalmente montadas para apanhar as suas presas. Esta leoa acabou por ter sorte, pois conseguiu cicatrizar a ferida e permanece num pequeno grupo fiel de leões, que lhe leva inclusive comida quando se apercebem que ela não os consegue acompanhar em certos terrenos.

Galinhas mais inteligentes do que pensávamos

Fotografia: Farm Sanctuary

Um novo estudo publicado segunda-feira na revista Animal Cognition revelou que as galinhas são mais inteligentes do que pensávamos. Tal como os mamíferos, as galinhas são capazes de deduções e raciocínio lógico (algo que o ser humano só desenvolve aos sete anos), têm personalidades distintas e até tendências maquiavélicas — por exemplo, os galos “fingem” que há comida para atrair as fêmeas.

As galinhas têm também noção de quantidades, intervalos de tempo, conseguem antecipar eventos futuros e são capazes de autocontrolo quando se trata de esperar por uma recompensa melhor. No estudo, mostraram também ser capazes de sentir medo, expetativa e ansiedade.

Gatos de Nova Iorque

Fotografia: Andrew Marttila

Veja também:

São os chamados gatos de Nova Iorque e são os protagonistas de um livro chamado «Shop Cats of New York», da autoria de Tamar Arslanian e Andrew Marttila. No livro, é contada a história de 40 gatos que frequentam as livrarias, cafés, papelarias, lojas de bicicletas, drogarias e até uma loja especializada em whiskey. Deliciam os visitantes com a sua presença, e claro, o seu incomparável ronronar.

Gatos sobrevivem juntos ao frio

Fotografia: Felines & Canines

Três gatos (dois na foto) foram encontrados agarrados uns aos outros para conseguirem sobreviver ao frio e à neve que cobriu toda a cidade de Chicago. Os gatos foram abandonados e além de estarem esfomeados, não tinham abrigo onde se proteger. A resiliência com que se mantiveram sempre juntos levou a organização que os resgatou, a Felines & Canines, a autorizar apenas a sua adoção em conjunto.

Orca Granny morreu

Fotografia: DR / whaleresearch.com

Numa semana negra para as orcas, Granny, a orca mais velha do mundo, foi confirmada como morta. Granny, ou Avó, era popularmente conhecida pela sua longevidade. Calcula-se que tivesse nascido em 1911, um ano antes do naufrágio do Titanic e três anos anos antes da Primeira Guerra Mundial. Teria por esta altura 105 anos. A última observação da Granny foi registada em 12 de Outubro de 2016, e a data oficial da sua morte foi definida como 31 de Dezembro de 2016.

Raro morcego com leucismo

Fotografia: Dean Morgan Photography / via Facebook

Um raro morcego que se suspeita ter leucismo (perda parcial de pigmentação da pele, uma versão mais suave do albinismo) está aos cuidados do Australian Bat Clinic and Wildlife Trauma Centre, em Queensland, Austrália. Não se trata apenas de um animal raro, como se acredita ser mesmo o único que existe, já que nunca tinha sido observado um morcego com esta coloração. Trata-se de um morcego da espécie Pteropus poliocephalus, conhecido como raposa-voadora-de-cabeça-cinzenta.

Tubarão-tigre a aproximar-se de mergulhador

Tubarão-tigre a aproximar-se de mergulhador

Fotografias: Cassie Jensen / via National Geographic

Um tubarão-tigre aproximou-se de tal forma da fotógrafa Cassie Jensen que chegou a roçar o nariz na sua câmara. A fotógrafa descreve o momento como a experiência de uma vida, depois de ter perdido o medo popularmente incutido nas pessoas em relação a estes animais.

Os tubarões-tigre e os tubarões-brancos são as duas espécies de tubarões responsáveis por mais ataques a seres humanos, o que não impede diversos mergulhadores de nadar com deles. A probabilidade de uma pessoa ser atacada por um tubarão chega a ser menor do que a probabilidade de ser atingida por um raio.

Urso-polar sem neve

Fotografia: Patty Waymire

“Sem Neve, Sem Gelo” foi o título dado a esta deprimente fotografia pela sua autora, Patty Waymire, que não encontrou a paisagem desejada na sua visita ao Alasca. Num dos Invernos mais quentes já registados naquela região normalmente gelada, a neve tarda em cair e a vida selvagem, como os ursos-polares, sofrem as consequências.

Esta fotografia recebeu uma menção honrosa no concurso fotográfico da National Geographic e Patty Waymire endereça a mensagem ao Presidente-Eleito dos EUA, Donald Trump: da próxima vez que pretender negar o aquecimento global, faça primeiro uma visita ao Ártico.

Até para a semana!

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal