Imagens da Semana: 15 – 21 Novembro 2015

Um ex-milionário chinês que já salvou mais de 2 mil cães, a nova espécie de aracnídeo descoberta no Brasil e um ouriço-do-mar no dentista, são alguns dos destaques no mundo dos animais esta semana.

Diesel, cadela morta em operação antiterrorista

Fotografia: Police Nationale / via Twitter

Diesel, uma cadela pisteira da Polícia Nacional Francesa, morta durante um raide policial na sequência dos atentados terroristas em Paris. Diesel, da raça pastor belga e com sete anos de idade, teve morte imediata depois de uma bombista suicida se ter feito explodir em Saint-Denis. A hashtag #JeSuisChien foi utilizada no Twitter para lhe prestar a devida homenagem.

Cachorrinho de duas patas em cadeira de rodas

Fotografia: Crystal Richmond

Um cachorrinho de seis semanas, nascido com apenas duas patas, a experimentar a sua nova cadeirinha impressa em 3D para o ajudar a locomover. A cadeira foi idealizada por um casal que, ao ver as fotografias do cachorro no Facebook, desenhou a cadeira e contactou a Ohio University Innovation Center para a imprimir. O resultado está à vista.

Homem salva dois mil cães na China

Fotografia: China News

Wang Yan, ex-milionário chinês, com alguns dos dois mil cães que salvou nos últimos três anos. Todos estes cães seriam abatidos e vendidos como carne para consumo humano.

Menino de dez anos troca presentes de aniversário por ajuda aos animais

Fotografia: Priscilla Grassi

O cartaz de um menino de 10 anos, Marcos Grassi, que trocou os presentes de aniversário por uma ajuda aos animais abandonados da ONG Ajuda Animal, em São Paulo. Marcos tem quatro cães e três gatos em casa e, através da sua mãe, começou a conhecer a realidade do abandono de animais e do trabalho que as instituições fazem para tentar ajudar.

Hipopótamo-pigmeu bebé

Fotografia: Alastair Johnstone / SWNS

Um hipopótamo-pigmeu de três semanas de idade, junto à mãe no Bristol Zoo, em Inglaterra. O hipopótamo-pigmeu (Choeropsis liberiensis) é nativo das florestas e pântanos da África ocidental, em especial da Libéria. A espécie está ameaçada e estima-se que existam menos de 3 mil animais na natureza.

Opilão Smeagol (Iandumoema smeagol)

Fotografia: Rafael Fonseca-Ferreira

Uma nova espécie de opilão (um tipo de aracnídeo, mas não aranha), sem olhos, descoberta no sudeste do Brasil. A espécie recebeu o nome em homenagem à personagem de «O Senhor dos Anéis» Smeagol, ficando com o nome científico Iandumoema smeagol. Esta espécie vive permanentemente em cavernas subterrâneas.

Ouriço-do-mar no dentista

Fotografia: National Aquarium

Um ouriço-do-mar a receber tratamento dentário (leu bem) no National Aquarium em Baltimore, Maryland. Veja o vídeo da curiosa intervenção aqui.

Raro morcego albino

Fotografia: Brian Whyte

Um morcego albino extremamente raro, descoberto a voar durante o dia (link para vídeo) em Angus, na Escócia. É pouco usual um morcego sair para o exterior durante o dia, pelo que é possível o animal estar confuso. O albinismo é uma condição relativamente rara nos animais, resultante da falta de um pigmento de pele chamado melanina. O efeito contrário, excesso de melanina, resulta em animais negros.

Leão-das-cavernas bebé preservado no gelo da Sibéria

Fotografia: The Academy of Sciences of the Republic of Sakha (Yakutia)

Um leão-das-cavernas bebé, cujo corpo foi preservado no gelo da Sibéria por mais de 12 mil anos e descoberto recentemente, junto com outro bebé também congelado. Ambos tinham entre duas a três semanas de idade quando morreram. O leão-das-cavernas (Panthera leo spelaea) era uma espécie de leão que viveu na Europa desde há 300 mil anos até há 10 mil anos, quando foi extinto. Foi um dos maiores felinos que já existiram, com um tamanho cerca de 25% superior ao dos leões atuais. Estão representados em pinturas rupestres atribuídas aos primeiros seres-humanos.

Ocelotes bebés

Fotografia: Greenville Zoo

Dois ocelotes bebés, nascidos no passado dia 15 de Agosto no Greenville Zoo, na Carolina do Sul, EUA. O ocelote (Leopardus pardalis), também conhecido como jaguatirica, é um felino selvagem nativo da América do Sul, América Central e México.

Diabos-da-tasmânia

Fotografia: Reuters / Jason Reed

Dois jovens diabos-da-tasmânia brincam em cima de Dean Reid, manager da Devil Ark Sanctuary. Este santuário está a levar a cabo um programa de reprodução de diabos-da-tasmânia saudáveis, reintroduzidos na natureza para tentar salvar a espécie de uma doença cancerígena que está a dizimar estes animais.

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal