Imagens da Semana: 18 – 24 Outubro 2015

Uma cachorrinha salva a poucas horas de ser abatida, um jovem urso que se perdeu numa urbanização e dois orangotangos bebés encontrados dentro de mochilas para serem traficados, são alguns dos destaques no mundo dos animais esta semana.

Fantasia e Frankie

Fantasia e Frankie

Fotografias: Jo Lyons Photography

Uma imagem vale mais de mil palavras, mas pode uma foto valer uma vida? Pode, e a cachorrinha Fantasia é prova disso. Depois da sequência de fotos em cima, num canil em Sydney quando tentava partilhar um brinquedo com outro cão, Frankie (entretanto adotado), foi lançada uma campanha para tentar salvar a Fantasia, em vias de ser abatida.

E seria apenas poucas horas antes do abate que um senhor, chamado Michael Marsellos, se ofereceu como FAT (Família de Acolhimento Temporário), evitando uma morte que já parecia certa. Veja aqui o comovente vídeo.

Gato reanimado no Oklahoma

Fotografia: Oklahoma City Fire Department

Um gato a ser reanimado (com sucesso) pelo bombeiro Jeremy Dunshie, após um incêndio na cidade de Oklahoma, no estado norte-americano do mesmo nome.

Cães resgatados no Rio do Sul

Fotografia: Bruna Valle / via Facebook

Um morador de Rio do Sul resgata vários cães das ruas alagadas, consequência das cheias que colocaram nove municípios de Santa Catarina, no Brasil, em situação de emergência. Na passada sexta-feira, mais de 24 mil pessoas e 5 mil casas já tinham sido afetadas.

Urso perdido

Fotografia: Eric Volpatti

Um urso-pardo perdido em Montrose, na Colúmbia Britânica e auxiliado pelos moradores até chegarem as autoridades. Infelizmente, após ser avaliado o seu estado de saúde, as autoridades concluíram que o pequeno urso, que já tinha sido encontrado com grande desorientação (possivelmente devido a cinomose), não estava em condições de sobreviver sozinho e acabou por ser eutanasiado.

Civeta bebé

Fotografia: Nashville Zoo

Uma rara civeta bebé da espécie Hemigalus derbyanus, nascida no Nashville Zoo em Tennessee, EUA. Listada como vulnerável pela IUCN, esta espécie sofreu um declínio de cerca de 30% nas últimas três gerações.

Tapir bebé

Fotografia: Petr Hamerník / Prague Zoo

Um tapir-malaio bebé nascido no passado dia 15 de Outubro no zoológico de Praga, na República Checa. O tapir-malaio (Tapirus indicus), também chamado de tapir-asiático, é o maior das cinco espécies de tapir existentes: pode chegar aos 2,5 metros de comprimento e 540 quilos de peso. Os bebés nascem com manchas e listas brancas que lhes permitem camuflar melhor na floresta. Este padrão desaparece entre os quatro e os sete meses de idade.

Leopardos-das-neves

Fotografia: David Lawson / WWF-UK

Mãe e filhote leopardo-das-neves (Panthera uncia) numa rara visão em ambiente selvagem – estes grandes felinos são tão elusivos que popularmente lhes chamam “gatos fantasma”. Mas esse não é necessariamente um problema. O que preocupa é o novo relatório da WWF, onde é descrito um declínio da população destes felinos em mais de 20% nos últimos 16 anos.

Orangotangos-de-sumatra bebés

Fotografia: REUTERS / Olivia Harris

“Shhh isto não é para a tua idade!”. Dois orangotangos-de-sumatra bebés brincam um com o outro no Malaysian Wildlife Department em Kuala Lumpur, capital da Malásia. Os dois pequenos foram encontrados dentro de mochilas quando os seus traficantes os tentavam vender a compradores no mercado negro da Malásia. Os bebés orangotangos serão devolvidos ao seu país de origem, a Indonésia, para reintegração na vida selvagem.

Orca bebé a mamar

Fotografia: NOAA Fisheries, Vancouver Aquarium

Uma orca bebé a mamar naquela que é, até hoje, a fotografia mais pormenorizada desta interação entre mãe e filhote desta espécie tirada em ambiente selvagem. A imagem foi conseguida através de um voo de drone sobre as águas das Ilhas San Juan, a norte de Seattle, EUA.

Killifish-de-mangue (Kryptolebias marmoratus)

Fotografia: Andy Turko, University of Guelph

Um killifish-de-mangue (Kryptolebias marmoratus, anteriormente Rivulus marmoratus) a saltar fora de água. Os investigadores descobriram que este peixe salta fora de água para se refrescar — exatamente ao contrário do que nós fazemos. Esta espécie já era conhecida por poder passar meses, ou mesmo um ano, a viver fora de água.

Tartaruga pré-histórica com nariz de porco

Ilustração: Victor Leshyk

A representação artística do que poderá ter sido, em vida, a tartaruga pré-histórica Arvinachelys goldeni, com um característico “nariz de porco”. Os fósseis foram encontrados no Utah, EUA e pertencem a uma tartaruga que viveu há cerca de 76 milhões de anos, juntamente com os dinossauros do período Cretácico.

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal