Imagens da Semana: 20 – 26 Junho 2015

Um cão cego que tem outro cão como guia, o novo caranguejo-yeti descoberto na Antárctida e a tartaruga-das-galápagos que chegou aos 150 anos de idade, são alguns dos destaques no mundo dos animais desta semana.

Assine a newsletter para não perder estes e outros artigos!

Lince-ibérico

Fotografia: Pierre-philippe Marcou / AFP / Getty Images

Lava, uma lince-ibérico com um ano de idade, libertada perto de Toledo, em Espanha.

Os linces-ibéricos já não se encontram em perigo critico de extinção, no entanto, o elevado número de atropelamentos destes felinos está a tornar-se numa ameaça séria: 73 linces morreram nas estradas desde 2002, 22 deles apenas o ano passado.

Arara-canindé

Fotografia: Nilvan Oliveira / Vc no G1

Uma arara-canindé observa os moradores em Caldas Novas, região sul de Goiás.

Os moradores já estão habituados a receber a agradável visita destas aves que se vêm alimentar ás árvores pela manhã. Segundo o biólogo Alfredo Baptista, as araras são extremamente sociáveis e por isso não se importam de se aproximar das pessoas – alertando, contudo, para o facto de ser crime ambiental capturá-las.

Cão cego com guia

Fotografia: Ceri Oakes / Ross Parry Agency

Glenn, um Jack russell terrier totalmente cego (esquerda), é guiado pelo seu melhor amigo, um Staffordshire bull terrier chamado Buzz (direita).

O par inseparável foi resgatado das ruas – onde estavam abandonados, mas sempre juntos – e encontram-se no Stray Aid Rescue Centre à espera de uma nova família. Que os adote em conjunto, claro está.

Orcas

Fotografia: Paul Nicklen, National Geographic

Um grupo de orcas trabalha em conjunto em busca de arenques, na Noruega.

As orcas executam os seus movimentos de forma coordenada e precisa, encurralando os peixes num cardume denso em forma de bola e a partir da qual se alimentam.

Vicunhas

Fotografia: Sebastian Casta Eda / AP

Vicunhas fotografadas nas planícies andinas da Reserva Nacional Pampa Galeras, no Peru.

A vicunha (Vicugna vicugna), um camelídeo parente dos guanacos, das lamas e das alpacas, foi perseguida e morta durante séculos pela sua lã (em vez de ser tosquiada, como atualmente). Em 1964, com a espécie já praticamente extinta, o governo do Peru criou a reserva nacional que ainda hoje é o principal santuário destes animais.

Girafa e filhote

Fotografia: AP Photo / Sue Ogrocki

Uma bebé girafa, nascida na passada segunda-feira, recebe um inesperado beijo da sua mamã no Zoológico de Oklahoma City, no estado norte-americano do Oklahoma.

Quando nascem, as girafas têm 1,8 metros de altura e em poucas horas já são capazes de correr.

Pica-pau-mosqueado

Fotografia: Michael Quinton / Minden Pictures / Solent News

Um pica-pau-mosqueado levanta voo a partir do seu ninho numa floresta do Alasca.

O pica-pau-mosqueado (Colaptes auratus) é nativo da América do Norte, Central, Cuba e Ilhas Caimão, e já foi observado nos Açores, pela primeira vez em 2010 e depois em 2014.

Tartaruga-das-galápagos

Fotografia: AP

Speed, uma tartaruga-das-galápagos com 150 anos de idade, eutanasiada no Zoológico de San Diego devido a doenças crónicas. Esta tartaruga encontrava-se a viver no zoo desde 1933.

A tartaruga-das-galápagos (Chelonoidis nigra) é conhecida pela sua extensa longevidade, que ultrapassa os 100 anos e pode mesmo chegar aos 170. É a maior espécie de tartaruga terrestre do mundo e pode pesar 250 quilos.

Caranguejo-yeti

Fotografia: NERC (National Environment Research Council)

Kiwa tyleri, a nova espécie descoberta de caranguejo-yeti e a primeira a ser encontrada nas águas geladas da Antárctida.

São conhecidas apenas três espécies de caranguejo-yeti, com a primeira a ter sido descoberta em 2005 no fundo do Oceano Pacífico. Estes caranguejos receberam o nome “yeti” por terem as patas cobertas de cerdas sedosas (parecidas com pêlo).

Carpa Gymnocypris przewalskii

Fotografia: Wu Gang / Corbis

Uma carpa da espécie Gymnocypris przewalskii salta fora de água no rio Shaliu, em redor do Lago Qinghai, na China.

Estas carpas são raras e a espécie encontra-se em perigo de extinção, devido à pesca excessiva e também à perda de habitat. A pesca comercial destas carpas já foi suspensa quatro vezes desde 1989.

Raposas

Fotografia: TOPI LAINIO / CATERS NEWS

Duas jovens raposinhas aconchegam-se nos bosques de Lappeenranta, na Finlândia, enquanto a mãe raposa descansa ali perto.

Leopardos-das-neves bebés

Fotografia: EPA

Três leopardos-das-neves bebés nascidos no Zoológico de Karlsruhe, na Alemanha.

Os leopardos-das-neves são felinos adaptados ao frio extremo, contando para isso com o corpo e as patas cobertas de uma pelagem espessa, bem como de uma longa cauda, que lhes garante o equilíbrio necessário entre as montanhas do continente asiático. Chegam a ser encontrados a 6.700 metros de altitude.

Pandas recém-nascidos

Fotografia: REUTERS / China Daily

Dois pandas gémeos recém-nascidos, fotografados dentro de uma incubadora no Giant Panda Research Base em Chengdu, na província chinesa de Sichuan.

Na natureza, quando nascem pandas gémeos, geralmente apenas o bebé mais forte sobrevive. Acredita-se que se deve ao facto de as mães não conseguirem produzir leite suficiente para amamentar dois filhotes.

Os pandas bebés, que nascem cor-de-rosa, cegos e sem dentes, são os bebés proporcionalmente mais pequenos de todos os mamíferos placentários: nascem com um peso 800 vezes inferior ao da sua mãe.

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal