Imagens da Semana: 21 – 27 Agosto 2016

Um tucano vitima de maus-tratos a receber um novo bico em 3D, o resgate dos últimos animais do “pior zoo do mundo” e as demonstrações de amizade incondicional dos cães após os sismos de Itália, são alguns dos destaques esta semana.

Tigre Laziz no Zoológico de Gaza

Fotografia: Ibraheem Abu Mustafa / Reuters

O tigre Laziz, um dos últimos 15 animais que ainda não tinham sido resgatados do infame Khan Younis Zoo — conhecido como o “pior zoo do mundo” — situado na Faixa de Gaza. A organização não-governamental Four Paws completou o resgate, que para além deste tigre, incluiu uma ema, um pelicano, duas tartarugas, dois pássaros, um cervo, cinco macacos e dois porcos-espinhos. Os animais receberam cuidados veterinários e foram de seguida enviados para centros de animais selvagens, em particular na Jordânia e África do Sul. O zoo, que chegou a exibir as carcaças mumificadas dos animais que morriam sob os seus cuidados, foi finalmente encerrado. Veja mais fotos do resgate.

Aie-aie bebé

Fotografia: Leila, Durrell Wildlife Conservation Trust

Um aie-aie bebé, o primeiro de sempre a nascer no Durrell Wildlife Conservation Trust. Os aie-aie (Daubentonia madagascariensis) são mamíferos primatas com uma aparência muito peculiar, como se tivessem saído diretamente do mundo de Harry Potter. Infelizmente, essa aparência tem levado estes animais a serem perseguidos por motivos supersticiosos, que juntamente com a desflorestação os coloca em perigo de extinção.

Tucano recebe bico em 3D

Tucano recebe bico em 3D

Fotografias: DR

Um tucano antes e depois de receber um novo bico em 3D. A ave foi agredida por um grupo de adolescentes na Costa Rica, tendo perdido uma parte significativa do bico e deixando de se conseguir alimentar sem ajuda. Acolhido pela ZooAve e com a ajuda preciosa de donativos, foi possível salvar o tucano e financiar esta prótese, que custou cerca de 7.400 euros. Hoje é um dos símbolos contra os maus-tratos a animais da Costa Rica.

Atleta reencontra cadela que o seguiu

Fotografia: via Twitter

O atleta Dion Leonard e a cadela Gobi, após o emotivo reencontro quando Leonard já perdia a esperança de voltar a ver o animal. A história entre ambos começa quando Gobi decidiu acompanhar o atleta australiano numa ultramaratona na China, tendo-o seguido durante 125 quilómetros. Leonard decidiu de imediato adotar Gobi, mas entre os processos burocráticos de transportar o animal da China para o Reino Unido, Gobi desapareceu. Leonard regressou à China e lançou uma campanha para tentar encontrá-la e em certo ponto confessou em entrevista que estava a perder a esperança. Até que um telefonema mudou tudo: Gobi tinha sido encontrada, estava bem de saúde e os dois já se encontram juntos novamente.

Cão salva dona de terremoto em Itália

Fotografia: via La Nozione

O pastor alemão Rudy junto à sua dona Anna M., cuja vida salvou no violento terremoto que assolou a Itália esta semana, tendo provocado mais de 280 mortos. Anna conta que Rudy estava a comportar-se de forma estranha desde o início da noite e, por volta das 2h da madrugada, começou a “correr pela casa a latir como um louco”, tendo-lhe mais tarde agarrado a camisa e puxado com violência. Mesmo depois de Anna o repreender, Rudy manteve-se implacável e acabou por convencer a dona a sair de casa com ele. De seguida, deu-se o violento sismo. Anna perdeu a casa e todos os seus pertences, mas graças a Rudy, não perdeu a vida.

Cão não abandona caixão de dono morto

Fotografia: Screenshot YouTube

Ainda na sequência do sismo de Itália, uma imagem que está a comover o mundo. Um cão cocker spaniel deitou-se junto ao caixão do seu dono, uma das centenas de vítimas dos abalos. Presume-se que o homem, cuja identidade é desconhecida, tenha morrido em Accumoli. O cão permaneceu junto ao caixão, praticamente imóvel até ao momento do funeral. Esta é apenas uma das muitas histórias que têm surgido após o sismo, onde os cães se mostram como amigos na vida e além da vida.

Nova espécie de rã Pristimantis pulchridormientes

Fotografia: Germán Chávez

Uma nova espécie de rã, Pristimantis pulchridormientes, descoberta no Tingo Maria National Park, no Peru. Esta rã tem como particularidade distintiva a cor vermelha nas patas traseiras, que nenhuma outra rã do género Pristimantis apresenta.

População de langur-de-delacour (Trachypithecus delacouri)

Fotografia: Nguyen Van Truong / FFI

Um grupo de langur-de-delacour, também conhecido como lutung-de-delacour, descoberto pelos cientistas da Fauna & Flora International e que acabou por se revelar a segunda maior população em todo o mundo destes animais. O langur-de-delacour (Trachypithecus delacouri) encontra-se em perigo critico de extinção e faz parte da lista dos mamíferos primatas mais ameaçados do planeta. Esta descoberta no norte do Vietname aumenta a esperança da sobrevivência da espécie, mas os cientistas alertam que a necessidade urgente de proteger estes animais não diminuiu.

Destruição de marfim no Quénia

Fotografia: The David Sheldrick Wildlife Trust

Mais de 100 toneladas de marfim são destruídas no Quénia, como parte importante do combate ao tráfico de marfim — nomeadamente presas de elefante — que o país tem levado a cabo. Em comunicado, o Quénia afirma que “é de critica importância que o CITES adote as propostas quenianas que apelam a ações decisivas para banir o tráfico de presas de elefante, de forma a salvar estes grandes mamíferos da iminente extinção”.

Morcego-anão salvo de armadilha com cola

Fotografia: RSPCA West Hatch Wildlife

Um simpático morcego-anão salvo de uma armadilha com cola (para apanhar moscas) pela RSPCA’s West Hatch Wildlife, em Inglaterra. A cola, que lhe cobriu quase todo o corpo, foi retirada com sucesso em sessões de banhos de água morna com sabão especial, banhos esses que o morceguinho pareceu até apreciar. As armadilhas com cola são conhecidas por apanharem animais diferentes dos pretendidos, sendo consideradas um “método cruel” pela Humane Society of the United States.

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal