Imagens da Semana: 31 Janeiro – 6 Fevereiro 2016

Um cão resgatado com a pele petrificada, a homenagem sentida a uma gatinha em Hampshire ou o salvamento de uma girafa encalhada num rio, são alguns dos destaques no mundo dos animais esta semana.

Cão com aspeto petrificado devido a sarna

Fotografia: Valia Orfanidou

Uma cachorra resgatada das ruas de Atenas, na Grécia, com um quadro tão grave de sarna que a sua pele parecia petrificada. Apelidada de Petra (Pedra em português), a pobre cachorra foi ainda diagnosticada com leishmaniose e sentia-se bastante intimidada na presença de pessoas, que tiveram de conquistar a sua confiança aos poucos…

Cão já recuperado da sarna

Fotografia: Valia Orfanidou

…o que valeu bem a pena. Embora não pareça, esta é a Petra, totalmente recuperada e já com o aspeto (e a alegria) que é suposto um cão ter. Só falta um último passo: um dono responsável. Veja aqui um vídeo com a história incrível desta cachorrinha.

Salvamento de girafa bebé

Salvamento de girafa bebé

Salvamento de girafa bebé

Fotografias: Baba Sue / via Facebook

As imagens do salvamento de uma pequena girafa, que estava encalhada há pelo menos quatro horas no meio do rio Uaso Nyiro, no Quénia. A população de girafas no continente africano tem decrescido consideravelmente, de cerca de 140 mil animais em 1999 para menos de 80 mil atualmente.

Leão-marinho encontrado num restaurante

Fotografia: Bernard Guillas

Um leão-marinho, com cerca de oito meses, encontrado surpreendentemente no interior de um restaurante em San Diego. O staff do SeaWorld de San Diego, que o acolheu, determinou que o pequeno se encontra bastante malnutrido, pesando apenas metade do que um leão-marinho com esta idade devia pesar. Trata-se do 47º mamífero marinho resgatado só este ano pelo SeaWorld, 40 deles leões-marinhos.

Espadarte bebé

Fotografia: Juan C. Levesque

Se nunca viu um espadarte bebé ou imaginava como seriam, aqui está uma rara oportunidade de o fazer. A fotografia, que rapidamente correu mundo, é da autoria do biólogo marinho Juan C. Levesque. Apesar de caber na ponta de um dedo, os espadartes, também conhecidos como peixe-espada, desenvolvem-se rapidamente e podem atingir quatro metros e meio de comprimento em adultos — maiores do que muitos tubarões.

Jaguar "El Jefe"

Fotografia: Captura de Ecrã / Center for Biological Diversity

Uma raríssima aparição de um jaguar conhecido como “El Jefe”, registado em vídeo pela Conservation CATalyst e Center for Biological Diversity. Apesar de serem grandes felinos relativamente comuns (embora ameaçados de extinção) na América Central e do Sul, este jaguar é o único individuo selvagem conhecido atualmente nos Estados Unidos.

Homenagem à "Gata da Paragem de Autocarro"

Homenagem à "Gata da Paragem de Autocarro"

Fotografias: Solent News & Photo Agency

Uma homenagem da comunidade de Hampshire, Inglaterra, à gatinha Missy, conhecida como Bus Stop Cat (Gata da Paragem de Autocarro, em português). A Missy estava todos os dias naquela paragem e era conhecida e estimada por todos os passageiros. Mas na semana passada, um grupo de pessoas não identificadas atacou brutalmente a felina, um ataque bárbaro e cobarde que a deixou com ferimentos tão profundos que os veterinários decidiram-se pela eutanásia, de forma a evitar mais sofrimento. O caso chocou Inglaterra e a comunidade, para além da homenagem em flores, está a reunir fundos para erguer uma placa em memória de Missy junto à paragem de autocarro.

Polícia adota cachorrinho

Fotografia: Marcus Montgomery

A adorável expressão de um polícia ao adotar um adorável cachorrinho em que “tropeçou” numa chamada de rotina na Florida. O agente, Marcus Montgomery, tinha sido chamado ao abrigo de animais Panhandle Animal Welfare Society, devido a uma situação com um ex-funcionário, e quando já estava a terminar o seu trabalho viu este cachorrinho ao colo de um supervisor. Foi, literalmente, amor à primeira vista.

Fóssil de Kalligrammatid lacewing (esquerda) e borboleta-coruja moderna (direita)

Créditos: James DiLoreto, Smithsonian

O fóssil de um inseto da espécie Kalligrammatid lacewing (à esquerda) e a uma moderna borboleta-coruja (à direita) para comparação. Apesar das incríveis semelhanças, o fóssil não representa uma borboleta, mas sim um inseto que habitou o planeta juntamente com os dinossauros há 165 milhões de anos, 40 a 85 milhões de anos antes das primeiras borboletas terem existido. Porque motivo eram tão parecidos com as borboletas atuais? Trata-se de um fenómeno chamado evolução convergente, em que seres vivos de grupos distintos desenvolvem características semelhantes.

Tarântula Aphonopelma johnnycashi

Fotografia: Dr. Chris A. Hamilton

Uma tarântula da espécie Aphonopelma johnnycashi, uma das 14 novas espécies de tarântulas descobertas nos EUA ao longo da última década e reveladas agora num novo estudo. Esta espécie recebeu o seu nome em homenagem ao músico norte-americano Johnny Cash (1932-2003), de quem o principal autor do estudo, Chris Hamilton, é fã.

Ornitorrinco resgatado

Fotografia: Australia Zoo

Um ornitorrinco chamado Percy, após ter sido resgatado de um bueiro na estação de comboios de Caboolture, na Austrália. O sempre bizarro mamífero, que tem bico de pato e põe ovos como os répteis, foi observado por um veterinário mas não apresentava qualquer problema ou ferimento, pelo que foi devolvido com sucesso à natureza.

Salvamento de equidna

Fotografia: International Fund For Animal Welfare / via Flickr

Nem de propósito, já que falamos dos estranhos mamíferos que põem ovos. Uma equidna (que também põe ovos) a ser salva de um incêndio florestal em Victoria, na Austrália. Juntamente com as autoridades e com voluntários locais, a International Fund for Animal Welfare (IFAW) conseguiu resgatar, tratar e alimentar diversos animais afetados, tais como cangurus, wallabies e as já referidas equidnas.

Suricata bebé

Fotografia: Taronga Zoo

Um adorável e curioso suricata bebé, nascido no Taronga Zoo em Sidney, aventura-se a explorar o seu habitat. Este bebé e a sua irmã são os primeiros suricatas a nascer neste zoológico nos últimos sete anos. A gestação nos suricatas dura aproximadamente 11 semanas e os bebés nascem subdesenvolvidos, escondidos em tocas subterrâneas. A mãe deixa-os sair da toca pelas três semanas de idade e desmama-os por volta dos 49 a 63 dias.

Leões redescobertos na Etiópia

Fotografia: WildCRU

A silhueta de um majestoso leão capturada por uma câmara oculta assinala uma belíssima notícia para a conservação: a descoberta de uma população de leões anteriormente desconhecida num parque nacional da Etiópia. Nas últimas décadas, os leões têm desaparecido praticamente de toda a Etiópia, situação que encontra paralelo por todo o continente africano. Estima-se que o território ocupado atualmente pelos leões represente menos de 10% do seu território original.

Mãe urso-polar ensina os filhotes a nadar

Fotografia: YouTube / Barcroft TV

Uma paciente mãe urso-polar numa das aulas em que ensina os seus dois filhotes a nadar. O fotógrafo de vida selvagem Amos Nachoum pretendia capturar estes animais a partir de uma perspetiva subaquática e ao mesmo tempo desmistificar a reputação agressiva e aterradora destes animais, mostrando o seu lado mais gentil e carinhoso. Veja o vídeo onde o fotógrafo fala sobre a sua experiência junto desta maravilhosa família de ursos-polares.

Proteus (Proteus anguinus) na Caverna de Postojna

Fotografia: Dragan Arrigler

Um proteus fotografado na Caverna de Postojna, na Eslovénia. O proteus (Proteus anguinus) é um anfíbio caudado com características mais interessantes do que à primeira vista possa parecer. Habitante das águas subterrâneas de cavernas, está adaptado a uma vida na completa escuridão. Os seus olhos não se desenvolvem totalmente e por esse motivo é cego, não tem pigmentação na pele e é dotado de uma extraordinária longevidade: pode viver até 100 anos.

Tuatara bebé

Fotografia: Chester Zoo

A primeira tuatara bebé criada fora do país onde é nativa, a Nova Zelândia, nascida no Chester Zoo, em Inglaterra. As tuataras são répteis muito especiais e com uma longa história no nosso planeta. Apareceram sensivelmente na mesma altura dos dinossauros, há cerca de 230 milhões de anos, conviveram com os dinossauros, sobreviveram à extinção dos dinossauros há 66 milhões de anos… e chegaram até nós. São uns verdadeiros fósseis vivos.

Mulher sul coreana salva cães

Fotografia: Lee Jin-Man

Jung Myoung Sook, uma sul coreana de 61 anos, com alguns dos mais de 200 cães que já resgatou nos últimos 26 anos. Tratam-se de cães recolhidos das ruas, mas também adquiridos aos fornecedores que os vendem habitualmente para restaurantes — ainda é comum criar cães para alimentação na Coreia do Sul. Veja aqui um vídeo sobre esta fantástica senhora.

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal