Imagens da Semana: 4 – 10 Dezembro 2016

O rapaz de 9 anos que criou a sua própria associação para animais, o difícil momento da despedida dos nossos animais de sempre e a extinção silenciosa da girafa, são algumas das histórias que pode conhecer nesta edição das imagens da semana.

Criança cria abrigo para animais

Fotografia: Happy Animals Club / via Facebook

Ken, um rapaz filipino de apenas 9 anos de idade, conseguiu apoios suficientes para criar o seu próprio abrigo para animais abandonados, o Happy Animals Club. Ken começou por alimentar animais de rua e trazer para casa os que necessitavam de maiores cuidados. Quando as suas fotos a tratar dos animais de rua se começaram a espalhar pela Internet, começou a receber apoios e donativos de pessoas emocionadas pelo grande coração e força de vontade do rapaz. Com esses donativos, foi possível alugar o espaço necessário para criar o abrigo, que já tem inclusive produção própria da alimentação para os animais.

Menino de 7 anos despede-se do seu cão

Fotografia: Marvi Lacar / via Facebook

O difícil momento em que Mateo, uma criança de 7 anos, se despede do seu melhor amigo, Wheat, que conhecia desde que nasceu. Wheat estava a sofrer de complicações resultantes de uma infeção intestinal há várias semanas, quando tanto a família como o veterinário perceberam que o cão de 11 anos já não iria recuperar.

Cão visita dono pela última vez no Hospital

Fotografia: Screenshot / Facebook

O momento em que uma cadela se despede do seu dono com uma doença terminal, num hospital norte-americano, tem corrido o mundo. Com apenas 33 anos, Ryan Jessen sofreu uma hemorragia cerebral e os médicos informaram a família que não havia cura. Os familiares decidiram então não prolongar a inevitável despedida e, com a permissão do hospital, levaram a cadela de Ryan, Mollie. O emocionante vídeo do momento pode ser visualizado aqui.

Gato-pescador recém-nascido

Fotografia: Wildlife Friends Foundation Thailand

O que parecia ser “apenas” um gatinho bebé, resgatado de uma rua por uma família tailandesa, revelou-se ser algo mais. A Wildlife Friends Foundation Thailand (WFFT), chamada para ajudar, identificou o pequeno: trata-se de um gato-pescador recém-nascido, uma espécie de felino selvagem nativa do sudeste asiático que se encontra em vias de extinção. O pequeno Simba, como foi batizado, encontra-se sob cuidados veterinários e vigilância permanente.

Girafas em extinção

Fotografia: Alicia Wirz / IUCN Photo Library

Uma das notícias que mais surpreendeu esta semana: a girafa entrou oficialmente para o grupo dos animais em vias de extinção. O animal mais alto do mundo e também um dos mais icónicos, tem passado despercebido devido à crescente preocupação com animais mais ameaçados, como elefantes e rinocerontes, mas o seu “declínio silencioso” é agora demasiado evidente: a população de girafas caiu de 157 mil animais em 1985, para 97 mil em 2015. Mas a nova atualização da IUCN não traz apenas más notícias: o nosso priôlo dos Açores subiu de 400 indivíduos em 2003 para 1.250 atualmente.

Albatroz Wisdom

Fotografia: US Fish and Wildlife Service / AP

Wisdom, a albatroz (e provavelmente a ave) mais velha do mundo de que há registo, com 66 anos, vai ter um novo filhote — mais um. A famosa albatroz-de-laysan (Phoebastria immutabilis), de quem falamos em Dezembro do ano passado e também em Fevereiro deste ano, acasala todos os anos no refúgio de vida selvagem Midway Atoll National Wildlife Refuge, algo que faz consecutivamente desde 1956. Na sua longa vida, Wisdom já foi mãe de dúzias de crias e voou quase 10 milhões de quilómetros sobre o oceano Pacífico.

Baleia-jubarte jovem

Fotografia: Michael Smith, National Geographic Your Shot

Uma jovem baleia-jubarte aproximou-se do sortudo fotógrafo Michael Smith nas águas de Vavaʻu, em Tonga. “Eu podia ver claramente o [seu] belo olho a olhar diretamente para a minha alma” descreveu o fotógrafo à National Geographic.

Cauda de dinossauro preservada em âmbar

Fotografia: Royal Saskatchewan Museum (RSM/ R.C. McKellar)

Foi encontrada pela primeira vez uma parte de dinossauro perfeitamente preservada em âmbar. Trata-se da cauda de um dinossauro terópode que habitou o planeta há cerca de 99 milhões de anos, e está totalmente coberta de penas, o que não deixa dúvidas (se ainda houvesse) sobre o facto dos dinossauros terem o corpo coberto de penas. Por incrível que pareça, esta preciosidade estava à venda num mercado em Myanmar. A peça de âmbar já tinha sido trabalhada e arredondada, pois os vendedores acreditavam tratar-se apenas de um pedaço de uma planta.

Mandril mãe e filhote

Fotografia: San Diego Zoo / Tammy Spratt

Kesi, uma mandril do San Diego Zoo, com o seu primeiro filhote, um rapazinho que é também o primeiro mandril a nascer naquele zoológico nos últimos 14 anos. O mandril (Mandrillus sphinx) é o maior macaco do mundo e facilmente reconhecível pela sua coloração brilhante. No seu livro «A Descendência do Homem», Charles Darwin descreveu-o desta forma: “nenhum outro membro em toda a classe de mamíferos é colorido de uma forma tão extraordinária como os machos adultos mandris”.

Tigre-da-tasmânia

Fotografia: via reddit

Apesar de ter sido extinto em 1936, o tigre-da-tasmânia, ou tilacino, continua bem vivo entre muitas pessoas, que insistem ter avistado o animal e que o mesmo não se extinguiu. Na passada segunda-feira, um vídeo de um suposto avistamento foi carregado para o Youtube e apresentado pela Thylacine Awareness Group, uma organização que reúne mais de 3 mil pessoas no Facebook que acreditam que o animal está vivo. Infelizmente, nenhuma das 5.000 observações dos últimos 80 anos foi provada. Já foram inclusive oferecidas recompensas entre os 100 mil e os 1,75 milhões de dólares pela prova ou captura segura de um tilacino vivo, sem surtir efeito.

Até para a semana!

Tópicos: Imagens da Semana, Fotografia Animal