Educação e Comportamento dos Gatos

Para iniciar uma relação com o seu gato, deve começar por acaricia-lo, dar-lhe muita atenção e muito mimo, para que se sinta bem em casa e tenha uma relação de amizade para consigo.

Se atribuir rapidamente um nome ao gato, e chama-lo bastantes vezes por esse nome, é muito provável que ele se reconheça quando o ouvir chamar. Os nomes preferidos dos gatos têm que ter duas silabas contendo as vogais “a”, “i” e “o”

No entanto, nunca tente educar um gato como se educa um cão. É escusado. Os gatos associam os seus actos à experiência adquirida, ou seja, se associarem um acontecimento positivo a um acto, vão repeti-lo. Mas se o acontecimento for negativo, o gato vai evita-lo.

Deste modo, para ensinar o seu gato, nunca o castigue “depois”. Ou é na precisa altura da asneira, ou o gato não compreende porque esta a castiga-lo. Uma coisa muito importante é nunca bater com jornal. Algumas pessoas recomendam, mas nunca deve ser feito, porque o gato não se deve aperceber que foi sancionado por si… deve associar o seu acto a um acontecimento negativo. Por exemplo, se o gato esta a arranhar o sofá, atire chaves ou abane uma corrente de ferro (sem nunca o atingir), ou então bata palmas com força, que o gato assusta-se e vai desabituar-se de fazer aquilo. Também pode borrifa-lo com água, uma vez que os gatos são hidrofóbicos (com excepções, se o seu gato gosta de tomar banho, este castigo não funcionará).

Se o gato vir que é você que o castiga, vai afastar-se de si, mas não vai reconhecer mal nenhum em arranhar o sofá…

Brincar

Os gatos adoram brincar com objectos móveis. Bolas de ping-pong, rolhas, bolas de papel e novelos são os brinquedos preferidos. Nas lojas também existem ratos de peluche que se movem sozinhos, patinhos de borracha, entre outros. Brincar com o gato é muito importante para ele se exercitar, e também para se habituar a si.

Higiene

O gato é um animal extremamente limpo.

Se o seu gato está a fazer as necessidades fora da caixa, algum problema existe. Pode ter comprado a areia errada, pode o gato estar doente, pode estar perturbado pela chegada de um outro animal, pode estar perturbado com a saída ou entrada de uma pessoa na família, etc. Deve consultar o veterinário para despistar problemas de saúde.

Pode levar o gato imediatamente após ter feito fora do sitio, à caixa própria para lhe mostrar que é ali que tem que fazer. Também pode acontecer que o gato se tenha assustado e por isso tenha feito fora do sitio, por isso, se não se repetir, não deve ficar chateado com o gato.

Gatos agressivos

Um gato pode-se tornar agressivo se sentir ciúmes, ou se compreender uma atitude sua como agressiva para ele. Se o gato não quiser mais carinho e não conseguir sair do seu colo, vai tentar fugir de qualquer maneira.

Também se o gato tem um aborrecimento diário e uma falta de movimento, vai acumulando energia que a qualquer momento vai “explodir”. Quando isto acontece, pode ocorrer que dois gatos que estejam a brincar passem a uma briga longa, tudo porque o ambiente em casa é monótono e eles tem que gastar essa energia acumulada!

Medo das pessoas

Más experiências passadas, como os maus tratos, levam a que o gato nunca se sinta bem na presença de seres humanos. Por vezes ganham mesmo traumas, e nunca serão gatos que gostem de ser acariciados, pegados ao colo, nem nada que envolva contacto directo com as pessoas.

Assim que sentem passos, fogem e escondem-se.

Também há os gatos que não tem trauma nenhum, mas são muito tímidos. Neste caso, vai procurar esconderijos. Não deve obrigar o gato a sair do esconderijo, se alguém tem que tomar a iniciativa de uma aproximação, tem que ser o gato, pois caso contrário será sem sucesso! Deixe o gato ver que não há perigo e que você é uma pessoa agradável e silenciosa.

Tópicos: Tratamento e Manutenção de Gatos, Gatos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque