Escorpiões de Estimação: Cuidados Básicos

Escorpiões de estimação

Escorpião imperador (Pandinus imperator)
Fotografia: Chris Zielecki

Tal como se verifica com as tarântulas e outros aracnídeos, devemos ter em conta três factores muito importantes na manutenção de escorpiões como animais de estimação: humidade, temperatura e alimentação.

Humidade

Em relação à humidade, podemos encontrar escorpiões em climas muito variados e diferentes. Podemos encontrar-nos em selvas húmidas de África e encontrar o escorpião imperador (Pandinus imperator), ou irmos até ao deserto de Arizona, onde não existe água abundante, e encontrar esta mesma espécie.

É assim importante saber com exactidão a espécie que temos (ou desejamos) adquirir e saber qual é o seu habitat natural, para podermos proporcionar o habitat mais adequado ao escorpião em questão.

Temperatura

Com a temperatura passa-se o mesmo. Os escorpiões são animais que se podem encontrar em quase todo o mundo, menos nos pólos, pelo que se pode ter uma ampla gama de temperaturas entre umas espécies e outras.

Geralmente os escorpiões que se encontram no mercado costumam ser tropicais ou desérticos, que requerem uma temperatura entre os 24 e os 32º C.

Alimentação

Em relação à alimentação, os escorpiões também são muito idênticos as tarântulas. Podemos dar-lhes grilos, larvas e até ratos pequenos. O alimento deve estar sempre em bom estado, bem alimentado e livre de parasitas – assim asseguramo-nos que o nosso animal está nas melhores condições alimentares.

Para os escorpiões mais pequenos pode-se dar o mesmo, mas em menores tamanhos. A um escorpião pequeno é perigoso dar-lhe ratos, mesmo que também sejam pequenos, pois estes podem provocar ferimentos e até mesmo matar o escorpião.

Água

É muito importante saber a quantidade de água que precisa a nossa espécie em concreto. O escorpião mais popular, Pandinus imperator, por exemplo, precisa sempre de água que se lhe pode dar num pequeno prato, enquanto que uma espécie desértica, também precisa de água mas em menor quantidades, pelo que basta com borrifar o terrário de vez em quando.

Substrato

Outro aspecto é o substrato. Para as espécies provenientes da selva terá de utilizar cascas de madeira, ou semelhantes, para que possa manter a humidade. Em espécies desérticas utilizamos outro tipo de substrato, como terra ou areia.

Deve-se também colocar pedras ou pequenos troncos no terrário, pois algumas espécies de escorpiões gostam de cavar pequenas tocas. Todos estes aspectos são importantes para que o nosso animal de companhia se sinta cómodo e num ambiente idêntico de onde provém.

É sempre importante saber com exactidão a espécie que temos ou desejamos adquirir e saber qual é o seu habitat natural. Só assim podemos proporcionar o melhor habitat para o animal.

Este artigo foi publicado na Revista nº8 do Mundo dos Animais, em Novembro de 2008, com o título “Escorpiões”.

Tópicos: Aranhas e Escorpiões, Invertebrados, Animais Exóticos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque