Chinchila: O Roedor de Pêlo Sedoso

Chinchila

Chinchila
Fotografia: Wikimedia Commons

Classificação científica:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Rodentia
  • Família: Chinchillidae
  • Género: Chinchilla
  • Espécies: Chinchilla lanigera e C. chinchilla

Nome comum: Chinchila

Originária da América do Sul, onde era muito apreciada pelos nativos para aproveitamento das peles, esta espécie de pequenos roedores foi descoberta pelos conquistadores espanhóis quando da conquista no século XVI.

Anos mais tarde e trazida pelos espanhóis, a chinchila é introduzida na Europa e devido às características do seu pelo extremamente fofo e macio, inigualável, é levada praticamente à extinção.

No princípio do século passado, os criadores de peles, temendo a extinção da espécie, começam a criá-las em cativeiro.

Atualmente e devido ao peso da opinião pública, visto a chinchila ser unicamente criada para a produção de casacos de peles, começou a verificar-se uma grande quebra na procura deste vestuário, o que levou os criadores a passarem a criá-las como animais de estimação.

A chinchila como animal de estimação

As chinchilas são animais dóceis e meigos, deixam-se manusear com facilidade, raramente mordendo. São extremamente sociáveis, não sendo por isso aconselhável que vivam sozinhas. Poderão ser mantidas em trios (um macho e duas fêmeas) em casais ou em pares (desde que criadas juntas).

Quando se juntam duas chinchilas que não se conhecem, essencialmente se forem adultas, deverá ter-se um extremo cuidado com a “apresentação”. O ideal é ter uma gaiola com divisória de modo a que se possam cheirar uma à outra, ou duas gaiolas separadas mas encostadas uma à outra.

Depois de passarem um ou dois dias nesta situação podem juntam-se, sempre com extremo cuidado e supervisão. Ao mínimo sinal de conflito, deve separá-las de imediato. Uma briga entre chinchilas, sejam elas machos ou fêmeas, pode provocar ferimentos muito graves.

Não é de modo nenhum conveniente manter uma chinchila sozinha porque pode desenvolver problemas comportamentais.

Apesar de serem animais nocturnos, são facilmente adaptáveis aos nossos horários e desde que tenham a companhia dos seus donos, poderão passar parte do dia acordadas.

Alimentação

As chinchilas têm um sistema digestivo bastante sensível, sendo por isso aconselhável um cuidado extremo na sua alimentação. Existem no mercado rações específicas para chinchilas. Deverá dar-lhes feno diariamente, alguma fruta, maçã, kiwi, uvas e passas de uva (neste último, duas ou três vezes por semana).

Alojamento

Chinchila dentro da gaiola

Chinchila dentro da gaiola
Fotografia: Wikimedia Commons

Existem no mercado gaiolas próprias para chinchilas, com prateleiras, de modo a que possam saltar de umas para as outras. O fundo deve ser forrado com material próprio para mamíferos exóticos. Deverá usar-se uma caixa para que se possam esconder quando dormem e para que os bebés possam abrigar-se dos saltos dos pais.

A gaiola deverá ter o espaço suficiente para que elas possam exercitar-se convenientemente.

Deve proporcionar-lhes um recipiente em barro ou loiça para que possam tomar o seu banho de areia (própria para chinchilas) de forma a manterem o pêlo sedoso e limpo. Nunca dê banho com água à sua chinchila.

Os dentes das chinchilas, como de qualquer roedor, estão em constante crescimento. Coloque dentro da gaiola pedaços de madeira, cascas de coco ou pedra de cálcio para que, roendo, possam gastar os dentes.

Reprodução e filhotes

Filhotes de chinchila

Filhotes de chinchila
Fotografia: Wikimedia Commons

A chinchila fica sexualmente madura a partir dos quatro meses, sendo que a idade ideal para a reprodução é por volta dos nove meses de idade.

O cio dura entre dois a cinco dias e a ovulação entre 28 e30 dias. O cruzamento em regra ocorre durante a noite e algumas horas depois a fêmea expele um tampão.

O período de gestação dura cerca de 111 dias, devendo as fêmeas ter no máximo dois partos por ano. A média de crias por ninhada é de dois bebés, sendo no entanto possível nascerem até seis.

A fêmea entra novamente em cio imediatamente após o parto, que pode durar até 36 horas, pelo que se deve retirar o pai da gaiola de modo a que não voltem a acasalar imediatamente. Poderá juntar-se novamente o macho cerca de uma semana depois.

Os filhotes de chinchila, apesar de nascerem de olhos abertos, a andarem e completamente cobertas de pelo, só a partir do décimo dia é que começam a trincar feno e ração. Mamam cerca de dois meses mas convém só as separar dos pais depois de ter a certeza absoluta de que comem sozinhas.

Cores das chinchilas

  • Cinza standart: O tom de cinzento poderá ser mais escuro ou mais claro, os olhos são pretos, orelhas cinzentas escuras e a barriga cinzenta muito clara;
  • Bege heterozigótico: A chinchila é bege, olhos e orelhas vermelhas, barriga e patas brancas;
  • Bege homozigótico: O pelo é bege mais claro, os olhos rosa claro com íris branca, orelhas rosa e barriga branca.

A diferença entre estas duas beges é que a homozigótica possui dois genes dominantes e a heterozigótica, um dominante e outro recessivo.

Veludos

  • Preto: A cabeça e o dorso são pretos, tornando-se gradualmente mais cinzento até à barriga. Os olhos são pretos e as orelhas cinzentas;
  • Castanho: Resultado do cruzamento dum veludo preto com bege, a cor castanha pode ser escura ou clara. Os olhos são vermelhos escuros e as orelhas cor-de-rosa.

Não se devem cruzar chinchilas veludo entre elas, visto serem portadoras de um gene letal que poderá produzir crias com deficiências ou até mesmo nascerem mortas.

Brancos

  • Branco Wilson: A chinchila é branca, olhos pretos e orelhas cinzentas escuras;
  • Branco mosaico: Branca com manchas cinzentas, olhos pretos orelhas e patas cinzentas claras;
  • Branco rosa: A chinchila é branca, olhos e orelhas vermelhas;
  • Branco prateado: A chinchila tem uma mistura de pelos brancos e cinzentos o que lhe dá um aspecto de prateado, olhos pretos, orelhas e patas cinzentas claras.

Outras cores

  • Ébano: A chinchila tem o pelo completamente preto, olhos e orelhas pretas, sendo que o heterozigótico pode ter pelos cinzentos;
  • Violeta: O pelo é cinzento muito claro com sub pelo branco, olhos escuros orelhas cinzentas e barriga branca;
  • Safira: O pêlo é azulado e a barriga é branca. Cor extremamente rara e pela qual todos os criadores suspiram.

Este artigo foi publicado na Revista nº6 do Mundo dos Animais, em Abril de 2008, com o título “Chinchilas”.

Tópicos: Roedores, Animais Exóticos, Mamíferos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque