O Esquilo Terrestre de Richardson

Esquilo de Richardson (Spermophilus richardsonii)

Esquilo de Richardson (Spermophilus richardsonii)
Fotografia: Madalena Marques

Classificação científica:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Rodentia
  • Família: Sciuridae
  • Género: Urocitellus
  • Espécie: Urocitellus richardsonii, sinónimo de Spermophilus richardsonii

Nomes comuns: Esquilo de Richardson ou esquilo terrestre de Richardson

Os esquilos terrestres de richardson, devido à sua semelhança com os cães da pradaria, são muitas vezes confundidos com os mesmos, chegando alguns comerciantes menos escrupulosos a vende-los como tal.

São animais com o corpo adaptado para escavar, já que constroem túneis e tocas, pelo que possuem membros dotados de garras fortes para escavar e orelhas reduzidas para lhes dar liberdade de movimento. São animais gregários, que vivem em famílias organizadas, cujos níveis hierárquicos e de sociabilidade são elevados. São dos esquilos mais inteligentes que existem devido às suas complexas relações familiares.

Membro da família dos esquilos (Sciuridae) e da ordem Rodentia, os esquilos terrestres de richardson têm a sua origem nas planícies do nordeste da América do Norte. São animais diurnos, que hibernam e que vivem a maior parte das suas vidas em tocas debaixo do chão.

Alguns pretendem extermina-los por serem pestes para a agricultura, outros mantê-los como animais de estimação. Estes esquilos de richardson têm um papel importante como presa para muitos animais carnívoros e aves de rapina, criando micro-habitats para outros animais, o que causa controvérsia relativamente à sua manutenção nas pradarias onde habitam.

Em liberdade, a expectativa de vida de um esquilo terrestre de richardson é de dois a quatro anos. Pela ausência de predadores, em cativeiro é substancialmente maior.

E ter um esquilo em casa, como é?

Esquilo de Richardson (Spermophilus richardsonii)

Esquilo de Richardson (Spermophilus richardsonii)
Fotografia: Madalena Marques

Quem decidir manter este esquilo como animal de estimação, tem que assumir a responsabilidade por ele durante toda a sua vida. Estes animais não podem ser postos em liberdade porque só conseguem sobreviver como parte da família.

Devem ser colocados em gaiolas espaçosas em termos de largura, dado que não escalam. Deverão ter prato de comida, a taça da água ou biberão, material para o ninho e uma caixa de madeira onde fazem o ninho para que se possam esconder.

Se possível deve ser colocada uma grande quantidade de substrato, para que se possam cobrir completamente quando se sentem ameaçados.

Alimentação

O esquilo terrestre de richardson é predominantemente herbívoro, com a vegetação compondo 80 a 100% da sua alimentação. O restante é composto por insectos. Os esquilos de richardson não matam para comer.

Com a devastação das pradarias pelos agricultores, os esquilos de richardson tiveram que mudar a sua dieta, passando a comer sementes de cereais, tais como aveia, trigo, milho e centeio.

Os esquilos mantidos em cativeiro podem ser alimentados com granulados próprios para esquilos, complementados diariamente com vegetais frescos tais como cenouras, brócolos, maçãs, milho (com moderação) ervilhas e feijão.

Brinquedos para mastigar em madeira também se devem fornecer para que possam desgastar os dentes. As suas guloseimas favoritas são nozes e amêndoas que guardam nas bochechas e comem posteriormente.

Temperamento e comportamento

O esquilo de richardson é um animal muito curioso – em especial quando são jovens, depois tendem a acalmar conforme vão ficando mais velhos. São animais adoráveis, muito afectivos e sociais que se ligarão ao dono e a toda a família. Adaptar-se-ão a estranhos com muita facilidade desde que tratados com carinho.

Produzem ruídos que vão desde o chilreio até a um assobio alto e agudo. Também rosnam. Quando o fazem, evite mexer-lhes até lhes ser familiar e poder aproximar-se deles. O chilreio é normal e tende a desaparecer com o tempo (na natureza o chilreio serve para chamar para o acasalamento ou simplesmente para aviso). Isto também se aplica ao assobio alto.

O esquilo de richardson é um animal que necessita que se lhe conceda o máximo de tempo disponível possível, pois por serem animais sociais, necessitam da nossa maior atenção.

Não deve manter-se um esquilo de richardson sozinho, deverão estar sempre aos pares, casais ou trios (um macho e duas fêmeas) senão podem desenvolver problemas comportamentais, visto serem animais que vivem em grandes colónias.

Quando a temperatura desce de forma abrupta, os esquilos têm tendência a hibernar, reduzindo as suas funções. No entanto, não hibernar apenas significa que os mesmos não tiveram necessidade de o fazer e não um qualquer problema de saúde.

Maneio

Os esquilos devem ser manuseados com os cuidados inerentes à fragilidade de um pequeno roedor. Nunca devemos segurar um esquilo que se sente ameaçado e para o reconhecer, devemos tomar atenção a diversos sinais, entre eles:

  • O guincho estridente produzido pelo esquilo;
  • A posição do seu corpo, que em caso de susto se vira de barriga para o ar ao mesmo tempo que expõe garras e dentes;
  • Ao contorno do olho – um esquilo assustado abre os olhos de modo a que se veja a esclera.

Com perseverança e com alguns petiscos, facilmente se ganha a confiança de um richardson. Dentro desta família, serão uns dos mais fáceis de manusear devido essencialmente às suas características sociais.

Segurança

Os esquilos terrestres de richardson, sendo animais extremamente curiosos e inteligentes, requerem alguns cuidados de segurança acrescidos.

Por norma, estes esquilos conseguem abrir facilmente as portas das vulgares gaiolas que adquirimos em lojas de animais, logo, o uso de um cadeado é de todo aconselhado.

Tenha em conta que os esquilos são roedores, logo vão experimentar tudo o que lhe pareça estranho. Se decidir soltar o esquilo, deve ter cuidado com fios eléctricos, plantas tóxicas e objectos que possam prejudicar o animal. Só devemos deixar o esquilo sair da sua gaiola sob total supervisão.

Dentro da gaiola apenas devemos usar materiais próprios para esquilos, que não causem danos físicos ou de saúde, dado que o sistema digestivo destes pequenos animais é bastante sensível.

Caso possua animais que naturalmente são predadores, deve tomar todos os cuidados necessários para que não tenham contacto.

Tomar em atenção que se quiser juntar outro esquilo de richardson à sua comunidade, deve tomar todos os cuidados básicos de apresentação, ou seja, usar gaiolas diferentes até que se habituem à presença do outro elemento da família. Disputas entre roedores podem causar danos graves ou mesmo a morte de um ou de ambos os animais.

Veja também: Foto-Reportagem: Esquilos de Richardson de Bebés a Juvenis

Este artigo foi publicado na Revista nº6 do Mundo dos Animais, em Abril de 2008, com o título “Esquilo de Richardson”.

Tópicos: Roedores, Animais Exóticos, Mamíferos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque