Animais Exóticos para Iniciantes: Qual Escolher?

Animais exóticos para iniciantes

Fotografia: Wikimedia Commons

Temos assistido nos últimos anos, em Portugal, a uma explosão de interesse por animais raros e exóticos.

A razão para tal acontecer tem sido amplamente discutida. Parece-me que passa por várias razões, como o status (o meu é melhor e mais raro que o teu); o mestre e tratador prestigiado (como não há informação disponível, eu sei mais que tu); as razões exibicionistas (estás a ver? eu tenho! não é … diferente?); a preguiça e a busca do animal tamagochi (come menos, dorme mais, suja menos, chateia menos… e se morrer logo nasce outro!) e por último, por interesse e paixão por determinadas espécies.

Gostar da espécie pressupõe gostar do trabalho, gostar de criar ambientes fantásticos, (ser capaz de) manter rotinas difíceis e complexas em termos de tratamento e manutenção, de se importar realmente com o as condições ambientais que se proporciona a determinado animal.

É sobre os últimos tipo de donos que me quero debruçar e gosto de acreditar que se encontram em maioria.

No caso das espécies mais fáceis de encontrar e manter em condições ambientais favoráveis, temos o hamster, o gerbo, a ratazana, o porquinho da índia e o coelho, não necessariamente por esta ordem em termos da dificuldade de manutenção, até porque depende do tipo de trabalho que o dono mais gosta de fazer. Se o hamster tem um cheiro mais intenso, o coelho (por exemplo) necessita de um espaço muito maior.

O hamster será porventura o mais fácil de encontrar e mais acessível em termos de custo inicial, embora não possa considerar que os restantes se encontrem fora do alcance da maioria das carteiras. Se o hamster, porquinho e coelho são mais vulgares, os restantes exóticos, incluindo as ratazanas e os gerbos, estão em franca ascensão na “lista” de animais mantidos para estimação, sendo cada vez mais apreciadas as suas qualidades.

Inicio aqui uma breve análise de cada um dos animais de estimação exóticos que proponho para principiantes a fim de se verificar os pontos essenciais para manutenção de cada um deles.

Hamster

Animais exóticos para iniciantes

Hamster Anão Russo
Fotografia: Carlos Gandra

Existem à nossa disposição diversas espécies e variedades de hamsters. As diferenças entre espécies devem ser tidas em consideração, já que se uns são gregários ou sociais, outros são solitários, assim como existe diferença entre necessidades de espécie para espécie.

Muita gente opta pelo hamster apenas por ser barato, pois quando morre, compra-se outro (o que demonstra uma total falta de civismo). A meu ver, a todo o animal deve ser proporcionado uma vida digna com todas as condições necessárias ao seu bem estar.

Embora os custos de manutenção deste animal sejam baixos, o seu alojamento e cuidados veterinários a que deve ter direito, podem tornar-se numa despesa significativa. Portanto há que ter em consideração as despesas extra, antes de decidir adoptar um (ou mais) hamster. Este tipo de reflexão pode, e deve, adequar-se a todo o animal que não pediu para nascer e que se encontra em cativeiro.

No caso do hamster (e em qualquer outro animal) o primeiro passo passa por reunir o maior número de informação fidedigna utilizando meios diversificados como Internet, livros, revistas, conhecimentos provenientes de pessoas experientes, não esquecendo nunca que devemos fazer uma avaliação crítica de toda a informação que nos é apresentada.

O hamster é o mamífero exótico de estimação por excelência devido à facilidade de manutenção e à sua divulgação no mundo moderno. É indicado para principiantes e atractivo devido à quantidade de variedades, de cores e de pelagens.

Como “contras” apenas vejo a questão do cheiro almíscarado que exalam, que se para alguns não faz qualquer diferença, para outros é verdadeiramente insuportável. Claro que mesmo para os mais sensíveis, a manutenção do alojamento em condições de salubridade óptimas atenuam ou quase eliminam qualquer odor.

Também deve ser considerada a questão da agressividade, embora a escolha de um bom exemplar proveniente de um bom criador, reduza exponencialmente a possibilidade de levar um hamster “refilão” para o seio da nossa família.

Onde comprar um hamster?

Prefira ambientes caseiros e criadores considerados competentes na área. Muitas vezes a diferença de preço não é significativa e o carácter do animal é completamente diferente.

É importante também tentar obter um animal de características morfológicas correctas e de carácter equilibrado a fim de combater as pragas de “criadores de vão de escada” que se têm observado, de pessoas sem escrúpulos que tanto se lhes dá que a progenitora seja bem ou mal tratada ou que tenha crias até à exaustão, pois afinal “só custou 5 euros”.

Escolher um hamster habituado ao maneio facilitará também a relação a ser criada com o mesmo.

Como escolher?

Apesar de existir um ou outro hamster que chama mais a atenção, principalmente se estiver em minoria na ninhada (como por exemplo um creme numa ninhada de pretos), devemos prestar atenção primordial ao estado do animal.

Deve ter os olhos brilhantes sem quaisquer mucos, inflamações ou lacrimejantes. O pêlo deve estar brilhante, sem sujidade, falhas, feridas ou pústulas. Deve ter os dentes amarelos (quanto mais idade tiver, mais amarelos devem ser). O seu comportamento diurno deverá ser mais calmo e com mais horas de sono, devendo, no entanto, reagir ao toque. Não deve ser agressivo nem demasiado amorfo.

As questões mais frequentes sobre hamsters aparecerão explicadas na bibliografia que consultar, já que as informações sobre os mesmos estão de sobremaneira estudadas e divulgadas nos mais diversificados suportes.

Gerbo da Mongólia

Animais exóticos para iniciantes

Gerbos da Mongólia
Fotografia: Carlos Gandra

O gerbo da mongólia é outro dos animais indicados para principiantes, cuja vantagem se centra na quase total ausência de odores desagradáveis, dada a origem desértica do mesmo.

O gerbo é sociável e curioso por natureza, sendo um animal indicado para crianças ( que tenham sido devidamente educadas a lidar com animais deste porte), jovens e adultos.

A maior desvantagem do gerbo (para grande parte dos indivíduos) é a existência de cauda comprida, que causa uma certa repugnância em muita gente. Outro dos “contras” do gerbo é que são “roedores natos”, os “ases da destruição”, logo, qualquer material de madeira ou plástico que tenham à disposição será roído.

O gerbo é, para mim, um dos animais mais simples de manter se conhecermos os cuidados básicos que devemos prestar a esta espécie.

Como escolher um gerbo?

Devemos ter em atenção as mesmas características enunciadas nos hamsters, tendo especial atenção a faltas de pelo na base da cauda. Os gerbos têm vindo a ganhar terreno no campo do animal de estimação ideal, devido à sua meiguice e facilidade de manutenção. A sua variedade de cores e padrões, também é muito apelativa.

Ratazana

Animais exóticos para iniciantes

Ratazana de Estimação
Fotografia: Carlos Gandra

A minha terceira escolha para principiantes, e também a minha favorita.

Apesar da péssima fama da ratazana devido à associação com o lixo e com um vector transmissor de doença – especialmente ligada à peste bubónica (malditas pulgas) – a ratazana tem vindo a crescer como animal de estimação devido às apelativas características que apresenta.

A ratazana é uma excelente companhia especialmente devido à inteligência superior, se comparada com alguns dos restantes roedores, bem como a capacidade de interacção com o ser humano. Apesar da associação passada, a ratazana é um animal bastante limpo, cuidando da sua higiene diária com muito afinco (tal como um gato).

O maior “contra” que vejo na ratazana, na minha opinião, cinge-se ao facto de ser um roedor de porte médio, logo, especialmente se for macho, necessita de um alojamento de dimensões razoáveis (adequadas) e de limpeza regular.

Convém também ter muito cuidado com a escolha do criador e exemplar. A ratazana deve ser escolhida de modo a que tenham sido excluídos de criação (na medida possível) a maior parte dos problemas de saúde e de agressividade.

Todos os conselhos dados anteriormente para a escolha dos outros mamíferos exóticos são comuns à ratazana, no entanto, neste animal deve também prestar atenção à existência de borbulhas nas orelhas e cauda (sinais de sarna sarcópica) e de “cauda quadrada” ao invés da cauda roliça (sinais de sub-nutrição).

Porquinho-da-Índia

Animais exóticos para iniciantes

Porquinhos-da-Índia
Fotografia: Wikimedia Commons

Sem dúvida um dos animais exóticos que apresenta menos problemas em termos de agressividade.

O porquinho é apelativo devido ao seu tamanho, facilidade de maneio e grande capacidade de comunicação. Claro, que devido ao seu porte, será necessário um alojamento de grandes dimensões e trabalho na limpeza de modo a manter um bom nível de higiene e de salubridade.

Quando, onde e como?

Em Portugal já existe um clube devidamente legalizado que trabalha com as raças de porquinho da índia, dinamizando exposições e lutando para que a criação de porquinhos seja feita de forma adequada. Nada melhor que pedir a lista de criadores ao respectivo clube para encontrar um exemplar.

Em termos de saúde o porquinho da índia deve ter sempre os olhos límpidos e brilhantes sem quaisquer infecções purulentas. O pêlo deve estar limpo, sem caspa, falhas, feridas ou piolho. As patas devem apresentar uma cor normal sem feridas, bolhas ou calosidades. As unhas não se devem encontrar retorcidas.

Coelho

Animais exóticos para iniciantes

Coelho de estimação
Fotografia: Wikimedia Commons

Por último escolhi o coelho. Não fazendo parte dos roedores e sim dos lagomorfos, encontra-se ainda dentro dos animais adequados para principiantes nos mamíferos exóticos de fácil manutenção.

Apenas o seu porte o torna num animal um pouco mais complicado que os anteriores, dado que devemos suprir as suas necessidades em termos de espaço.

Dado que até à data ainda não existe uma entidade portuguesa responsável por esta espécie, há que procurar um criador que se responsabilize pela saúde das crias (e dos progenitores) e que mantenha os seus coelhos vacinados contra as doenças que os afectam (como a mixomatose e a febre hemorrágica viral).

O coelho que escolher deve ter os olhos límpidos e não apresentar altos ou hematomas especialmente se se localizarem nos olhos, orelhas e mucosas. todas as indicações em relação a falhas de pelo e feridas são válidas e deve-se prestar atenção à colocação dos dentes (dentes compridos demais ou tortos significa problemas).

Lembre-se que cada um dos animais anteriores tem uma esperança média de vida entre dois a quatro anos, à excepção dos de maior porte que podem atingir os dez anos de idade. Está preparado para dividir o seu tempo com eles?

Boas escolhas!

Conheça mais exóticos:

Este artigo foi publicado na Revista nº 11 do Mundo dos Animais, em Abril de 2009, com o título “Exóticos para Iniciantes”.

Tópicos: Roedores, Animais Exóticos, Mamíferos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque