Hamsters: Toda a Informação Que Necessita

Hamster

Hamster
Fotografia: Wikimedia Commons

Classificação científica:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Subfilo: Vertebrata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Rodentia
  • Subordem: Myomorpha
  • Família: Cricetidae
  • Subfamília: Cricetinae

Os hamsters são pequenos roedores, de hábitos crepusculares – maior actividade durante o amanhecer e o anoitecer, evitando na natureza os predadores diurnos – e foram domesticados pela primeira vez em 1939. Tal como outros roedores, os hamsters possuem dentes de crescimento contínuo, que necessitam de ser constantemente desgastados. Para o efeito, são também conhecidos como animais de grande apetite, que comem “tudo” o que lhes aparece pela frente.

Possuem audição e olfactos muito apurados, mas em contrapartida a visão é pouco desenvolvida. Nascem cegos e, quando adultos, não conseguem ver mais longe do que alguns centímetros em frente ao seu nariz. Isto faz com que um hamster não se aperceba do perigo de cair de grandes alturas, pelo que gaiolas altas com vários níveis são desaconselhadas: uma queda grande pode dar origem a ossos fracturados ou mesmo à morte do animal.

Uma imagem típica é ver um hamster com as bochechas cheias. Eles possuem bolsas na boca onde armazenam comida, bolsas estas ausentes de saliva para que os alimentos armazenados se mantenham secos e frescos.

Raças de hamsters: como escolher

Hamster chinês

Hamster chinês
Fotografia: southernhamsterclub.co.uk

Em primeiro lugar deve decidir qual a espécie de hamster que pretende, pois a escolha da gaiola irá depender desta decisão: o espaço entre as grades de cada gaiola pode ser excessivo para o tamanho do hamster pretendido.

Antes de comprar mais do que um hamster, devemos certificarmos-nos das características de cada raça. Algumas raças de hamsters são sociáveis, podendo vários indivíduos conviver bem numa mesma gaiola, enquanto outras são mais territoriais e poderão originar lutas até a morte. Sempre que tiver dúvidas tente informar-se junto das boas lojas, ou então compre apenas um hamster.

Hamster Sírio

Hamster Sírio
Fotografia: petinfoclub.com

Caso sinta segurança para identificá-los, o anão russo, o chinês e o roborovski são sociáveis e gregários (embora haja excepções) e vários hamsters dessas raças podem ser mantidos na mesma gaiola. No entanto, será melhor se forem da mesma ninhada, estiverem juntos desde o nascimento e forem do mesmo sexo. Todos os outros tipos de hamster, especialmente o sírio, precisam de ser mantidos separados para evitar lutas.

Só se devem manter na mesma gaiola dois hamsters que conviveram juntos desde pequenos, pois um hamster ao ficar numa gaiola sozinho demarca o seu território e poderá entrar em atrito com qualquer novo “morador”.

Dada a sua curta expectativa de vida (dois a três anos), deve adquirir-se um animal jovem (o ideal é perto das 5 semanas) e sempre que possível com as seguintes características, que são indicadoras de um animal saudável:

  • Focinho seco;
  • Olhos vivos e brilhantes;
  • Orelhas em pé;
  • Pêlo sem falhas, brilhante e macio;
  • Corpo cilíndrico;
  • Apetite (muito…).

Os hamsters são activos e brincalhões por natureza, mas como são animais nocturnos, o ideal seria visitar a loja e adquiri-lo ao final da tarde ou ao princípio da noite, pois assim será mais fácil avaliar o seu comportamento.

Um hamster saudável e que não contacte com outros roedores selvagens (ratos domésticos, ratazanas, etc.) não necessita de vacinação ou desparasitação. No entanto são animais muito sensíveis e quando adoecem, rapidamente a situação pode evoluir de forma fatal, pelo que não se deve adiar a procura de um veterinário, sempre que se suspeite de doença.

Distinguir hamster macho e fêmea

Quando são muito novos, pode ser difícil distinguir os sexos. Olhando para os genitais, você verá dois orifícios – o pénis ou vagina e o ânus. No macho, o espaço entre os dois é em geral de uma dois centímetros e, na fêmea, este espaço é tão pequeno que é difícil diferenciar os dois orifícios.

A forma do corpo difere também um pouco da fêmea para o macho.

Normalmente as fêmeas são mais activas, mas também mais ariscas. Podem inclusivamente ter mais tendência a morder o dono, quando não são manuseadas com algum cuidado. Pelo contrário os machos tendem a ser mais calmos, mais tolerantes, mas também mais preguiçosos e dorminhocos.

Gaiola para o hamster

Gaiola de hamster

Gaiola de hamster
Fotografia: Wikimedia Commons

O hamster é um animal muito sensível às variações de temperatura, pelo que o ideal será colocar a sua gaiola numa zona da casa onde a temperatura oscile entre os 20ºC e os 24º C, longe de correntes de ar. A exposição solar directa ou a uma luz muito intensa deve ser evitada. De preferência a sua gaiola deve ser colocada num local calmo durante o dia (sendo animais nocturnos, tendem a dormir a maior parte do dia).

Existem diversos modelos de gaiolas, desde o mais simples ao mais elaborado. Pode ser de grades ou toda em acrílico com pequenos respiradores (as últimas são particularmente indicadas para as espécies de hamsters mais pequenas ou quando se pretende fazer criação). Por norma nem sempre a gaiola mais bonita tem a manutenção mais fácil – numa gaiola com muitos tubos a limpeza torna-se mais difícil.

As gaiolas podem ter um só nível ou vários patamares. Se se optar pelo segundo tipo, deve ter-se o cuidado para que a altura entre os patamares não ultrapasse os 20 a 25 centímetros de altura, pois os hamsters, apesar de grandes atletas, são muito sensíveis a quedas de alturas mais elevadas.

Outro factor a ponderar na escolha da gaiola e restantes acessórios: os hamsters adoram roer tudo à sua volta, por isso devem escolher-se materiais não tóxicos e de preferência resistentes.

Devem-se evitar gaiolas sobrepovoadas, pois se existirem muitos animais num espaço pequeno, vão surgir lutas devido ao stress e muitas vezes ferimentos provocados por essas lutas, que podem originar a morte dos animais. Convém ainda separar os hamsters pelos sexos, por forma a evitar ninhadas indesejadas.

Machos agrupados numa mesma gaiola, apenas se forem irmãos e tiverem crescido juntos, de outra forma podem ocorrer lutas fatais, uma vez que possuem instinto de defesa territorial, disputando assim a posse da gaiola. Animais que cresçam juntos não devem ser separados e depois reagrupados, pois alteram seus odores característicos, podendo haver lutas no reagrupamento (esta é uma das razões porque normalmente as lojas não aceitam a devolução de hamsters).

Portanto a gaiola deve ser espaçosa por forma a permitir a organização de várias áreas:

  • Casa de banho – Existem à venda alguns WC praticamente fechados que são de fácil limpeza;
  • Abrigo/Espaço para dormir – Existem casinhas de diversos modelos e cores;
  • Zona para alimentação e água – O comedouro deve ser pesado e feito de um material facilmente lavável (a cerâmica é o ideal). Se possível deve ser largo, pois os hamsters adoram comer sentados sobre a própria comida. O bebedouro deve ser do tipo pipeta;
  • Zona de exercício – Sendo grandes atletas, uma rodinha é essencial e podem ainda colocar-se algumas escadas ou tubos, que eles costumam adorar.

O fundo da gaiola deverá ser revestido por uma camada de material absorvente. Existem muitos tipos de materiais disponíveis para este efeito (litter, aparas de madeira, etc) mas recomendo seriamente o uso de corn cobs. Trata-se de um produto natural (resultante da trituração dos carolos das maçarocas do milho), que absorve até cem vezes o seu peso em líquidos. Pode ser encontrado nas boas lojas de animais.

Deve ainda ser fornecido um material suave, para que o hamster torne mais acolhedor o seu ninho. Existem muitos tipos de de materiais à venda nas boas lojas, em alternativa pode usar-se papel higiénico (branco) rasgado em tiras.

Cuidados de higiene

Hamster anão russo campbell

Hamster anão russo campbell
Fotografia: Wikimedia Commons

Os hamsters são animais muito asseados… aliás, 80% do tempo que passam acordados é dedicado à sua higiene pessoal e é um espectáculo encantador observar uma sessão de limpeza, pois realizam-na com tal minúcia e pormenor que nenhuma região do seu corpo escapa, inclusive atrás das orelhas.

Assim sendo, apenas temos de cuidar da higiene do seu espaço. A gaiola deve ser limpa pelo menos de duas em duas semanas. Recomenda-se a lavagem de todos os acessórios, tendo o cuidado de usar detergentes ou sabão neutro e enxaguar muito bem, para que não fiquem resíduos.

Os hamsters não apreciam que o seu ninho / armazém seja mexido, no entanto deve verificar-se o estado das provisões aí guardadas, por forma a evitar a formação de bolores e fungos, que podem causar graves doenças (como a diarreia, por exemplo).

A água deve ser mudada com frequência, bem como o litter do WC, por forma a evitar cheiros desagradáveis.

Alimentação

Hamster roborovski a comer

Hamster roborovski a comer
Fotografia: Wikimedia Commons

Os hamsters adoram acumular reservas de alimento, que transportam para os seus esconderijos numas bolsas que possuem na boca e que, quando cheias, lhes dão um ar muito patusco.

Alimentam-se basicamente de grãos, frutas, raízes, queijos e no seu habitat natural, de larvas e pequenos insectos. Existem no mercado inúmeras rações equilibradas, por forma a fornecer todos os elementos necessários a uma alimentação correcta. Pessoalmente gosto de variar de marca, pois só assim se descobre qual a marca preferida pelo nosso hamster. Pode ainda adquirir-se em lojas de animais rações avulsas.

Pode-se oferecer pequenas quantidades de fruta ou vegetais, que eles muito apreciam (maçã, pêra, banana, uvas, cenoura, amendoins, passas, nozes (miolo), etc) e também queijo ou ovo cozido. No entanto, estes “mimos” não devem ser oferecidos sistematicamente, mas sim ocasionalmente e como forma de recompensa ou guloseima, por forma a evitar que o hamster engorde demais.

Para evitar doenças, devem-se evitar alguns alimentos: alface, tomate, pêssego, ramas de verduras, alimentos congelados ou em conserva. Diariamente, um hamster consome cerca de sete a doze gramas de alimentos e cerca de oito a doze mililitros de água.

Deve ainda fornecer-se ao hamster alimentos duros (biscoitos ou blocos de minerais) de forma a permitir um desgaste saudável dos seus dentes, que durante toda a sua vida nunca param de crescer. Nas lojas da especialidade encontram-se várias marcas.

Férias e viagens: levar ou não levar o hamster?

Viagens curtas

Se for viajar por um curto espaço de tempo, por exemplo até uma semana, não necessita de levar o seu hamster. Pode deixá-lo tranquilamente em casa, desde que respeite algumas condições:

  • Deixe uma boa quantidade de água disponível em bebedouros do tipo pipeta;
  • Deixe uma boa quantidade de comida seca disponível;
  • Se não tiver a certeza da quantidade de água e comida que você deve deixar, exagere para mais;
  • Certifique-se que deixa a gaiola em um lugar seguro, longe de correntes de ar e do sol directo;
  • Se for possível, peça a alguém da sua confiança para passar em sua casa no meio da semana, para verificar se está tudo bem.

Viagens Longas

Para viagens longas, você pode optar por duas soluções:

Levar o hamster consigo

  • Deve transporta-lo na própria gaiola ou num terrário de plástico;
  • Não esquecer a comida e a água sempre à disposição, bem como a rodinha (para viagens de carro, pode retirar a água, mas não se esqueça de lha oferecer de duas em duas horas ou toda vez que o hamster acordar);
  • Certifique-se que a gaiola se encontra num lugar arejado, mas protegida do sol e do vento (o ideal é no compartimento dos passageiros, se possível colocando um cinto de segurança por forma a evitar deslizamentos da gaiola. Cuidado com o ar condicionado…).

Deixar o hamster com alguém

  • Instrua minuciosamente a pessoa sobre os cuidados necessários, como alimentação e limpeza por exemplo (mais vale ser “chato” do que deixar alguém sem toda a informação necessária, pode por exemplo deixar-lhe o link desta página para consulta);
  • Reveja todos os cuidados a ter com o posicionamento da gaiola (sol directo, cheiros fortes, esquecer a porta da gaiola aberta, etc);
  • Deixe um telefone de contacto, para situações imprevistas ou urgências (se tiver algum veterinário da sua confiança, não esqueça o contacto deste).

Desfrute da companhia do seu amigo!

Relacionado: Animais de estimação exóticos para iniciantes

Este artigo foi publicado na Revista nº6 do Mundo dos Animais, em Abril de 2008, com o título “Hamsters”.

Tópicos: Roedores, Animais Exóticos, Mamíferos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque