O Raro Leopardo Cor de Morango

Condição genética é a causa desta cor nas machas do leopardo

Fotografia: Deon De Villiers

Um raro leopardo com as manchas rosadas, cor de morango, foi fotografado numa reserva sul-africana. O pigmento pouco usual resulta de uma mutação genética, mas o animal é perfeitamente saudável.

Apesar deste animal já ter sido observado por alguns turistas na reserva e de terem relatado essa observação de um leopardo de cor estranha, só agora foi fotografado.

Deon De Villiers, autor da fotografia, enviou a mesma para a Panthera, uma organização norte americana de conservação dos felinos selvagens, questionando a alteração de cor visível no animal. Os leopardos costumam apresentar manchas negras ao longo de todo o corpo.

Luke Hunter, presidente da Panthera, suspeita que este leopardo tenha uma condição genética chamada eritrismo, uma mutação sobre a qual não existem muitas informações, mas que se sabe aumentar a produção de pigmento vermelho e diminuir a produção do pigmento negro.

“É mesmo muito raro – não conheço mais nenhum exemplo credível em leopardos” disse Hunter, acrescentando que “é surpreendente que [uma foto deste leopardo] não tenha surgido antes”.

O eritrismo é muito raro em animais carnívoros e, quando surge, só se costuma manifestar em guaxinins, texugos e coiotes. “Existem algumas peles de leopardos e exemplares melanísticos nos museus com manchas de tom rosado, mas o enfraquecimento pode contribuir para isso” explicou Hunter.

O leopardo cor de morango aparenta ser perfeitamente saudável e continua a beneficiar da camuflagem que as manchas proporcionam a estes animais.

O grande perigo de vida deste leopardo é, como acontece a outros animais, a caça, sobretudo por se encontrar perto de uma zona de caça desportiva onde pode ser abatido de forma legal e usado como troféu.

Tópicos: Felinos Selvagens, Mamíferos, Animais Selvagens