Animais Traumatizados por Falta de uma Assinatura

Cão em abrigo

Fotografia: Wikimedia Commons

Noutro dia estava a fazer zapping, procurando nada de especial de facto, mas um canal nacional obrigou-me, de forma incrédula, a parar ali.

Tratava-se nada mais nada menos de uma visita guiada à sociedade protectora dos animais do Porto.

As instalações situam-se uma fabrica perto do metro, cujo ruído da passagem deste amedronta e traumatiza muitos dos pobres bichinhos que lá se encontram. Não tem condições para acolhimento dos quase 700 animais recolhidos e abandonados, apenas pela razão de o presidente da Câmara de Gondomar não ter tempo ou vontade para assinar uma autorização de construção de novas instalações em local digno.

Ora eu pergunto-me, é mais importante tratar de reformas antecipadas ou recolher taxas à classe baixa, do que com uma simples assinatura melhorar a vida de 700 animais que com certeza já passaram por momentos dramáticos e assustadores?

Não consigo entender como dormem descansados à noite, quando em 2 segundos o panorama melhorava… eu ofereço a caneta ao senhor presidente.

E é assim que situações se arrastam e o ser humano mostra a sua não solidariedade. Questiono-me sobre a diferença do ser humano que se diz racional para os não racionais e confunde-me as noções que me foram ensinadas como provadas.

No mesmo programa via-se um dos pobres animais que não deixa ninguém se aproximar nem mima-lo por estar traumatizado, com os maus tratos que teve numa escola, durante anos.

Continuo a não compreender como em pleno séc. XXI se repetem actos de pura maldade, sem punição, a animais indefesos que só necessitavam de atenção, carinho, comida e que não exigem nada mais. Pior ainda, como é que um ser humano consegue violentar, e com que razão o faz (esta nunca poderá existir pois não seria aceite de forma alguma) e no entanto manter o animal por tanto tempo nestes péssimos tratos. Com que fim?

Quantas mais historias se conhecem, mais me questiono sobre a insanidade mental desta gente. Pena tenho é do prolongamento do sofrimento dos animais em causa nas mãos (e pés) desta gente.

Animais? Os que têm estas atitudes não aceites nem esse nome merecem mas sim bem abaixo disso.

Este artigo foi publicado na Edição nº17 da Revista Mundo dos Animais, em Outubro de 2010, no “Espaço leitores”.

Tópicos: Opinião