Testes de Laboratório em Animais

Testes de laboratório em animais

Fotografia: Wikimedia Commons

Em pleno séc. XXI dispomos cada vez mais de produtos de cosmética, medicamentos e outros que carecem de experimentação reaccionária para não ocorrerem futuras reclamações e indemnizações ou até no mais grave, a morte do ser humano.

Com imenso pesar verifico e constato que quem sofre pela ganancia e aumento do cofre destas empresas são os animais.

A ideia de saber que a sua triste vida em cativeiro é na dor e muitas vezes na doença e morte para poder aumentar auto estimas e crescimento de empresas já bem abastadas, repugna-me a cada dia que passa.

Poderiam argumentar de mil formas a necessidade de cobaias animais que eu não iria aceitar nem permitir tal acto. Onde fica o sentimento, a racionalidade, a sensibilidade e solidariedade humana?

Não fica, não existe lugar pois onde habita um nunca poderia co-habitar o outro.

Aquele olhar que eles lançam, aquela falta de humanismo e de coração no humano, que por um ordenado esquece que aquele ser vivo tem sentimentos, de facto sofre da mesma forma que o ser humano sofreria na mesma posição, não é entendível por mim.

Certos testes são desnecessários e completamente torturadores para nada se retirar deles, e aquele animal perdeu ali a única vida que conheceu.

Quem nos deu esse poder? O poder de tirar uma vida em momento algum deveria existir, e sim revolta-me, e quem ama animais sabe bem do que exponho aqui.

Não se trata de um ser inanimado nem de um objecto, mas o sentir na pele, o de implorar pela vida não desejando o ultimo fôlego, não podendo falar mas mostrando num olhar, num sofrer silencioso que é ignorado a cada teste, a cada tortura, para mal do mundo animal e da própria humanidade.

Revolta-me o impedimento impossível do constante massacre e na crescente proliferação validada de tais acontecimentos à escala mundial.

Apelo ao fim destes testes, algum dia, mas o mais breve possível… já hoje era tarde.

Este artigo foi publicado na Edição nº17 da Revista Mundo dos Animais, em Outubro de 2010, com o título “Testes de laboratório em animais”.

Tópicos: Opinião