Sabe o que é Vitiligo? Afeta Animais e Humanos

Vitiligo

Fotografias: Esquerda: Lindsey Hile Sit! Stay Pets / Caters News; Direita: Winnie Harlow / Instagram

Vitiligo é uma doença pouco conhecida, talvez pela sua raridade, mas é de realçar que esta doença afeta cerca de 1% da população mundial. Muitos, além de não saber o que é o vitiligo, não sabem que esta doença pode também afetar os animais.

O que é vitiligo?

O vitiligo é uma doença dermatológica que se caracteriza pela progressiva despigmentação da pele. Esta despigmentação dá-se pela redução do número ou função de melanócitos — as células responsáveis pela produção de melanina, o pigmento que em excesso confere uma cor escura e em ausência o albinismo — e sucede assim em formas de manchas brancas.

Pode aparecer em qualquer local do corpo, inclusive na retina, sendo que os sítios mais comuns são as mãos, o rosto e os genitais. É uma doença crónica, mas indolor e não apresenta alto risco. Existem tratamentos, embora nenhum demonstre grande êxito.

Os cuidados a ter com esta doença, no caso dos seres humanos, são a colocação de protetor solar nas áreas afetadas, para evitar queimaduras solares e cancro de pele, uma vez que a melanina protege contra as radiações solares e nestas áreas praticamente não existe.

No que diz respeito aos animais, o melhor é aconselhar-se com o veterinário.

Para saber se o seu cão ou gato sofrem de vitiligo, tem de observar se começaram a surgir manchas brancas no pelo, na zona do nariz, olhos, genitais e pernas. Para confirmar a suspeita o melhor é levar o seu animal de estimação ao veterinário, para que sejam efetuados os devidos testes.

Ser diferente: Rowdy e Winnie Harlow

Esta doença é curiosa se considerarmos que não se pode esconder. Uma das desvantagens desta doença é o facto da questão estética ser muito importante nos dias que correm. O vitiligo é bem mais visível nas pessoas e animais que têm uma pele com um tom mais escuro.

O que é bastante curioso sobre isso é que as pessoas que padecem desta doença são olhadas de lado, por serem diferentes. Os animais também ganham uma característica que os fazem diferentes, no entanto já não são vistos como extraterrestres mas sim como uma criaturinha engraçada e fofinha!

É algo pouco comum e que não é tão normal de se assistir. Claro que o preconceito aos poucos vai acabando e já temos exemplos disso:

Rowdy, um cão com vitiligo

Fotografia: Lindsey Hile Sit! Stay Pets / Caters News

Rowdy é um labrador que já enfrentou a morte olhos nos olhos e sobreviveu. Aos 14 anos, este cão já resistiu a um envenenamento acidental e até a um tiro.

Rowdy sofre de vitiligo e isso torna-o um cão com um pelo muito peculiar, além de fazer dele uma celebridade. Por isso mesmo, é agora o representante oficial da fundação americana de vitiligo (American Vitiligo Research Foundation). Este labrador vai ajudar crianças com a doença a lidar com o bullying e o preconceito que sofrem por serem diferentes.

Winnie Harlow, uma modelo com vitiligo

Fotografia: Winnie Harlow / Instagram

Chantelle Brown-Young, mais conhecida por Winnie Harlow, é uma modelo que padece de vitiligo. Mas não é apenas a doença que a faz diferente: Winnie Harlow luta bastante contra a descriminação e é um exemplo a seguir no que diz respeito à auto-aceitação e ao respeito pelo próximo e próprio. A modelo descobriu a sua doença aos quatro anos e, desde dessa tenra idade, que sofre na pele a descriminação por ser diferente.

O sonho de Winnie sempre foi ser modelo, mas devido ao vitiligo muitos não a aceitaram. No entanto, ela não desistiu e inscreveu-se no reality show apresentado por Tyra Banks, America’s Next Top Model, e foi uma rampa para o sucesso. Tyra Banks conseguiu ajudar Winnie a mostrar, às mentes mais fechadas, que a diferença pode ser bela, à sua maneira.

Atualmente, é o facto de Winnie Harlow sofrer de vitiligo que a tornam um sucesso e uma atração.

Duas personalidades, Rowdy e Winnie Harlow, que são vozes ativas na luta contra a descriminação e a ignorância humana. Duas vozes, vistas de modo bastante diferente. Enquanto um se parece tornar ainda mais fofo pelas manchas que possui, outra é tratada como um extraterrestre e ainda suscita suspeita e assombro às pessoas.

São dois casos que têm muito em comum, mas também muitas diferenças. Dois casos que nos dão muito que pensar sobre as mentes humanas, a maioria ainda muito fechada em relação à diferença. Que mais vozes como estas surjam para que o mundo seja um lugar onde a diferença é vista, não com desprezo, mas com igualdade.

Tópicos: Opinião, Saúde Animal, Ajuda Animal, Animais de Estimação, Artigos em Destaque