Uma Força para o Tomás

Esta história foi escrita por Maria Matias e fez parte do concurso “O que já fizeste por um animal?” que terminou no dia 18/11/2011. Clique aqui para ver todas as histórias.

A 4 de Outubro de 2011, ao vir para casa pela IC16, vi um gatinho encostado ao separador lateral da estrada. Sem ter sítio para parar e mesmo sendo proibido fazê-lo não pensei duas vezes: o menino não podia continuar onde estava.

Tomás

Depois de algumas dificuldades para o conseguir apanhar e de pensar que tinha sido atropelado e/ou estava com problemas neurológicos, preparei-me para o pior: caía quando queria correr, muito sujinho, com feridas no nariz mas também com um olhar com que nunca me deparei em todos os resgates que já fiz.

Não sabia bem o que seria possível fazer por ele, mas não estava preparada para o eutanasiar sem fazer os exames médicos que me obrigassem a isso.

Foi ao veterinário e estava pele e osso… mesmo pele e osso. Os ossos faziam barulho e batiam uns nos outros…

Há quanto tempo estava ali sem comer, sem uma gota de água mas com muito sol e calor?

Ficou internado e recuperou o suficiente para ter alta e vir comigo para casa.

Dias depois novo internamento mais prolongado por estar com o terror da panleucopenia felina.

E aquele monte de ossos coberto com pele e com olhos grandes ao fim de 11 dias de internamento e da continuação do tratamento já em casa venceu a «besta».

Continua a ter cuidados especiais por ser um menino com mais carências do que os outros peludos, mas está a tornar-se num super gatão lindo :)

O nome dele… Tomás.


Leia todas as histórias na edição especial da revista.

Revista Especial Gratuita

Mais em "O que já fizeste por um animal?":