Hidropsia ou Barriga d’Água em Peixes

Hidropsia em peixes

Fotografia original: Fish Deals

Apelidada de hidropsia, ascite infecciosa,ou barriga-d’água, esta é uma doença muito vulgar nos aquários dos principiantes (que não devem ficar de pé atrás com esta premissa, pois estou a falar de uma situação que pode acontecer a qualquer um … mas infelizmente as ‘estatísticas’ apontam maior número de casos nos aquários dos “jovens” aquariófilos) que geralmente se deve à proliferação exagerada de bactérias do género Aeromonas.

A presença das Aeromonas punctata, no organismo dos peixes em particular, induz a produção e acumulação de um líquido cor de rosa ou esverdeado, muito rico em linfócitos, na cavidade abdominal.

Por esta razão o ventre dos peixes fica cada vez mais inchado e a deformação dos tecidos leva mesmo ao levantamento das escamas ao ponto de parecerem ‘eriçadas’.

A presença destas bactérias no organismo dos peixes provoca graves inflamações intestinais e do fígado, lesões renais e hipertrofia de outros órgãos. Trata-se de facto de uma infecção aguda muito grave que pode levar os peixes à morte em poucos dias.

Hidropsia em peixes

Fotografias: Fish Deals

A origem desta patologia pode ter várias causas, muitas delas ligadas à inexperiência do aquariófilo e também à falta de cuidados na manutenção do aquário e na fraca qualidade dos alimentos.

Uma das primeiras causas é ingestão de alimentos congelados que (por qualquer motivo que nós, clientes compradores dos mesmos, desconhecemos) sofreram quebras na cadeia de frio, ou seja, podem ter descongelado e voltar a ser congelados, o que levaria ao aparecimento abundante de estirpes das bactérias que já referi anteriormente.

Mas os alimentos secos, se mantidos em locais húmidos e que pelo tamanho da embalagem ficam muito tempo em uso, também permitem o desenvolvimento destas mesmas bactérias.

Uma outra causa, muito comum, é a água poluída, principalmente se aliada a uma temperatura elevada.

As Aeromonas vivem, de facto, muito melhor em temperaturas acima dos 26ºC e proliferam na presença de matéria orgânica dissolvida (em solução).

Quando abusamos da quantidade de alimento por excesso, ou utilizamos filtros inadequados (de pouca potência, ou volume reduzido, ou material filtrante duvidoso), acabamos por facilitar a estagnação das proteínas e dos hidratos de carbono na água e as bactérias reproduzem-se de uma forma tão rápida que podem deixar a água com um aspecto leitoso.

E uma presença maciça destas bactérias faz obviamente com que os peixes passem a ser considerados como ‘material a infectar’.

Hidropsia em peixes

Fotografias: Fish Deals

Existe por isso uma relação importante entre a água leitosa, a temperatura elevada e os casos de hidropsia ocorridos.

Atendendo às causas acima mencionadas desta doença e à natureza da mesma, para a combater será necessário corrigir de imediato os defeitos ambientais e nutricionais: uma verificação atenta do equipamento de filtragem, uma pequena descida da temperatura até aos limites suportados pela ou pelas espécies afectadas e um cuidado muito especial com a qualidade dos alimentos distribuídos.

Podemos sempre aplicar tratamentos de acção bacteriostática, geralmente com Acriflavina (Sera Mycopur) ou Verde de Malaquite (Sera Costapur). A adição de antibióticos (Sera Baktopur direct) ao alimento dos peixes mais doentes pode ser uma grande ajuda.

Assim, o modo mais eficaz será esmagar uma pastilha de Sera Baktopur direct em pó, muito fino, misturando depois muito bem com um pouco de óleo vegetal. De seguida poderemos escolher um alimento granulado, no máximo 100 mililitros por pastilha, espalhamo-lo num prato e adicionaremos o produto que preparámos antes. Mexer bem, sem esmagar o granulado, até que tudo pareça bem homogéneo. Deixar secar durante cerca de 5horas (sem ser ao Sol).

Depois é só alimentar os peixes afectados e os que estão com eles no mesmo aquário, com este alimento assim medicamentado.

Hidropsia — Sumário:

  • Agente patogénico: Aeromonas punctata;
  • Colocação taxonómica: Bactérias. Aeromonadaceae, género Aeromonas;
  • Região infectada: Fígado, rins, intestinos, epiderme;
  • Sintomas: Abdómen inchado, escamas levantadas, apatia, natação ondulante;
  • Outros sintomas: Respiração acelerada, corrosão das barbatanas e da cauda;
  • Causa da doença: Água poluída, temperatura elevada, alimentos infectados;
  • Tratamento: Correcção das causas de poluição no aquário, alimentos de boa qualidade, da Sera, utilização de antibióticos e bacteriostáticos com Acriflavina (Sera Mycopur) ou Verde de Malaquite (Sera Costapur).

Um abraço (sem bactérias)!

Este artigo foi publicado na Edição nº 20 da Revista Mundo dos Animais, em Maio de 2011, com o título “Hidropsia em Peixes”.

Atenção: Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta no médico veterinário. O(A) autor(a) e o Mundo dos Animais não se responsabilizam pela utilização indevida destas informações.

Tópicos: Aquariofilia e Peixes Ornamentais, Peixes, Saúde Animal, Animais Exóticos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque