Dicas Para Cuidar da sua Tartaruga

Tartaruga como cuidar

Fotografia original: Bart

A maioria de nós não sabe como pegar numa tartaruga. Mais ou menos de qualquer maneira, lá vai o bichito sem saber para onde nem porquê. E então ficamos com uma tartaruga cheia de medo e assustada, olhando para nós como um predador perigoso.

Assim vamos dar-lhe alguns conselhos para que a sua tartaruga confie em si:

  • Quando estiver perto da sua tartaruga faça apenas movimentos lentos, nunca movimentos bruscos. Evite sustos desnecessários;
  • Um dia chegará perto dela e ela não demonstrará qualquer tipo de receio (não mergulha na água nem se esconde). Este período de tempo é variável. Pode demorar alguns dias ou alguns meses. Poderemos então passar à tentativa do contacto directo: tocar-lhe. Um processo também muito gradual e que irá requerer muito da sua paciência e persistência;
  • Proporcione-lhe um aquaterrário com boas condições, limpo e higiénico, para que ela se possa sentir feliz no seu habitat. Coloque-o num local da casa que seja movimentado, sem correntes de ar e que dê para ela ouvir vozes e outros ruídos, como por exemplo perto da TV. As tartaruguinhas não se importarão nada de ficar numa sala bem movimentada, onde passamos a cada momento. Acabam por ficar muito sociáveis mesmo para com os estranhos.

Conseguindo estes pequenos passos sem ficar nervoso, fazendo as coisas com calma, a sua tartaruga aprenderá a confiar em si. Sempre.

Como pegar na sua tartaruga

Como pegar numa tartaruga

Fotografia: Tom Woodward

A sua tartaruga tem partes do corpo muito sensíveis como por exemplo a carapaça. Por isso pegue-a pelas zonas laterais e deixe-a ver o seu rosto.

Ficará mais sossegada.

Segure de modo a não a deixar cair, sem apertar. Quando são maiores, as tartarugas têm uma força descomunal nas patas traseiras, por isso pegue-lhes de modo a que não consigam encostar as patas traseiras na sua mão.

A alimentação da tartaruga

Tartaruga como cuidar

Fotografia original: Daniel Jim

Se não proporcionar a alimentação correcta de nada adianta ter os melhores equipamentos ou outros cuidados, pois as tartarugas não poderão crescer de forma saudável.

Mais do que a quantidade, a qualidade dos alimentos é muito importante. A alimentação da sua tartaruga deve conter as seguintes substâncias:

  • Gorduras e hidratos de carbono: para o fornecimento de energia;
  • Proteínas e aminoácidos: favorecem o desenvolvimento dos músculos e são uma fonte de energia;
  • Fibras: auxiliam a digestão e previnem a obstipação (prisão de ventre);
  • Cálcio e minerais: necessários para o desenvolvimento da carapaça e esqueleto. Previnem, por exemplo, a paralisia;
  • Vitaminas: asseguram a resistência às doenças e garantem o bem-estar das tartaruguinhas.

As tartarugas devem ser alimentadas de duas a três vezes ao dia.

A pensar na alimentação da sua tartaruga, podemos sugerir os Gammarus desidratados (camarões siberianos da espécie Gammarus pulex), larvas de mosca e ovos de formigas e um granulado flutuante, que sejam de óptima qualidade.

Para as tartarugas mais jovens e que são as que vulgarmente são adquiridas nas lojas da especialidade, Gammarus recém-nascidos enriquecidos com vitaminas e minerais, e granulado rico em minerais e oligo-elementos.

Para os exemplares adultos ou para as tartarugas / cágados terrestres, peixes secos, ou granulado flutuante rico em cálcio e aminoácidos e granulado vegetal.

Podemos também diversificar ainda mais a dieta das nossas amiguinhas recorrendo a certos alimentos para peixes, como os liofilizados: larvas vermelhas, ou mesmo alimento em pastilhas, caso as tartarugas já sejam de tamanho razoável.

É ainda aconselhável suplementar a alimentação de qualquer espécie com um complexo de vitaminas específico.

Os alimentos naturais podem e devem ser fornecidos às tartarugas, sendo pois uma óptima alternativa nutricional, juntamente com os alimentos acima referidos.

Os mais comuns são tomate, pepino, banana, mamão, maçã, entre outras frutas e verduras.

Evite (de modo continuado) a alface e/ou frutas cítricas, pois poderá originar diarreias e outros problemas intestinais. Lave sempre bem os alimentos naturais, de modo a retirar restos de pesticidas ou outros produtos similares. Se forem frutas, descasque-as, pela mesma razão: a casca pode ter pesticidas acumulados.

Os alimentos devem ser distribuídos à temperatura ambiente, pois de contrário, poderão originar graves problemas intestinais às tartarugas.

Se quiser manter o aquaterrário mais limpo, pode alimentar as tartaruguinhas num pequeno recipiente à parte, com um pouco de água do aquaterrário (e assim vai mudando água sem dar por isso) evitando a acumulação de restos de alimentos não consumidos.

Como sugestão que comprovei pessoalmente com várias importações, uma folha de alface é sempre bem aceite nos primeiros dias bem como os produtos do mercado da especialidade (há que experimentar qual o melhor aceite), granulados, Gammarus, perfeitamente adequados a todas as espécies.

E não se esqueça: quanto mais variada a alimentação, mais saudável será a sua tartaruguinha!

Este artigo foi publicado na Edição nº 21 da Revista Mundo dos Animais, em Outubro de 2011, com o título “A minha tartaruga e eu”.

Tópicos: Tartarugas e Cágados, Répteis, Animais Exóticos, Animais de Estimação, Artigos em Destaque